Canadá finalmente cumpre sua promessa de receber 10.000 refugiados sírios

Toronto (Canadá), 12 jan (EFE).- O governo do Canadá cumprirá nesta terça-feira sua meta de receber no país 10.000 refugiados sírios com a chegada de dois aviões que transportam mais de 600 pessoas de campos de refugiados da região.

O objetivo inicial do governo do primeiro-ministro liberal, Justin Trudeau, era alcançar o número de 10.000 refugiados antes do final de 2015, mas problemas logísticos impediram que esse número fosse atingido.

O Ministério de Imigração do Canadá se mostrou evasivo na hora de confirmar a chegada do refugiado número 10.000 ao país e se limitou a assinalar hoje em comunicado que prevê "alcançar nesta semana nosso objetivo de receber no Canadá 10.000 refugiados sírios".

No entanto, dados divulgados nas últimas horas pelas autoridades canadenses assinalam que a cota estabelecida será alcançada ainda hoje.

O Ministério de Imigração disse que, no dia 10 de janeiro, tinha aceitado 9.562 refugiados sírios no país desde 4 de novembro de 2015. Desde então, chegaram ao Canadá 35 voos organizados para transportar os refugiados.

A chegada prevista para hoje de dois aviões que transportam mais de 600 refugiados sírios com destino aos aeroportos de Toronto e Montreal deve aumentar para pouco mais de 10.000 o número, o que aliviará parte da pressão que pesa sobre os ombros de Trudeau.

O primeiro-ministro canadense foi criticado nos meios de comunicação do país por descumprir sua promessa eleitoral de aceitar 25.000 refugiados sírios antes do fim de 2015.

Trudeau e o Partido Liberal basearam parte de sua campanha eleitoral em voltar a transformar o Canadá em um país aberto à imigração e aos refugiados, após os 10 anos de governo do conservador Stephen Harper que autorizou a entrada de solicitantes de asilo a um ritmo de conta-gotas.

Porém, pouco após assumir o poder em novembro do ano passado, Trudeau reconheceu que o Canadá não poderia cumprir esse objetivo e rebaixou a 10.000 o número de refugiados acolhidos no país antes do final de 2015.

O plano também inclui aceitar outros 15.000 sírios antes de 1º de março de 2016 e assim cumprir a promessa eleitoral de Trudeau de chegar a 25.000 refugiados.

Embora o descumprimento dos prazos prometidos por Trudeau esteja sendo criticado na imprensa canadense, os grupos e organizações que trabalham com refugiados, e que estão patrocinando a chegada de milhares de sírios, consideram que o atraso não é significativo.

No último mês de dezembro a Aliança Canadense do Setor de Assentamento de Imigrantes do Canadá (CISSA, na sigla em inglês), um dos grupos que está participando do acolhimento, aplaudiu o plano do governo de Trudeau pela intenção de acolher 25.000 refugiados sírios no país em 13 meses.

"Entendemos e aplaudimos a decisão porque a meta de refugiados assistidos pelo governo é superior à de outras regiões do mundo", disse a organização em carta enviada ao ministro de Imigração, John McCallum.

Para a CISSA e outros grupos, o principal problema não é o atraso no cumprimento dos prazos definidos pelo governo canadense, mas questões como responder às necessidades dos refugiados quando chegam ao país.

"Estamos muito preocupados de que este plano nacional fracasse no final se não respondermos e solucionarmos o crítico problema de garantir opções de alojamento permanente", destacou a organização. EFE

jcr/rsd

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos