Obama diz que o Estado Islâmico "não ameaça a existência nacional" dos EUA

Washington, 12 jan (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, tentou acalmar nesta terça-feira os que veem a luta contra o Estado Islâmico (EI) como "a Terceira Guerra Mundial" ao assegurar que esse grupo jihadista "não ameaça a existência nacional" de seu país, mas pediu ao Congresso que aprove uma base legal específica para essa campanha.

"Enquanto nos concentramos em destruir o EI, as mensagens exageradas de que esta é a Terceira Guerra Mundial somente beneficiam" os jihadistas, afirmou Obama durante o último discurso de sua presidência sobre o Estado da União perante o Congresso.

"Eles não ameaçam nossa existência nacional. Essa é a história que o EI quer contar, é o tipo de propaganda que eles usam para recrutar. Mas não temos que fortalecê-los para mostrar-lhes que estamos falando sério", acrescentou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos