Obama promete trabalhar para fechar prisão de Guantánamo

Washington, 12 jan (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, reiterou nesta terça-feira sua promessa de tentar fechar a prisão de Guantánamo, que chamou de "cara e desnecessária", durante seu último discurso sobre o Estado da União perante o Congresso.

Essa prisão, localizada em Cuba, "só serve como panfleto de recrutamento para nossos inimigos", ressaltou o presidente.

Obama arrasta a promessa de fechar Guantánamo desde sua primeira campanha eleitoral em 2008.

Após as transferências de presos para outros países anunciadas nos últimos dias, um total de 103 detentos permanecem em Guantánamo.

O governo prevê transferir da prisão nesta quinta-feira dez presos de uma vez, segundo informaram hoje funcionários do Departamento de Defesa ao canal "Fox News".

Os detentos pendentes de julgamento nas comissões militares criadas para julgar combatentes jihadistas ou que não podem ser libertados por serem considerados uma ameaça, são o "maior desafio neste momento" para o fechamento da prisão, conforme o próprio Obama admitiu em dezembro.

O presidente adiantou que apresentará ao Congresso um plano para fechar a prisão e não descartou usar sua autoridade executiva para consegui-lo se não houver colaboração dos legisladores.

O chefe de gabinete de Obama, Denis McDonough, reiterou no último domingo em uma entrevista que o presidente continua comprometido a fechar Guantánamo antes do fim de seu mandato em janeiro de 2017. EFE

mb/rpr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos