Vítimas do atentado em Istambul são da Alemanha, confirma governo

Berlim, 13 jan (EFE).- O Ministério de Relações Exteriores da Alemanha confirmou nesta quarta-feira que são dez os cidadãos alemães que morreram no atentado de ontem em Istambul, na Turquia.

Em entrevista coletiva, a vice-porta-voz do órgão, Sawsan Chebli, informou que sete pessoas continuam internadas em hospitais turcos, cinco deles na UTI. As vítimas faziam parte de um grupo de 33 turistas da Alemanha que estavam ao lado do terrorista suicida que ativou os explosivos, identificado pelas autoridades turcas como membro do Estado Islâmico.

Em Istambul, o ministro de Interior alemão, Thomas de Maizière, assinalou que não há neste momento qualquer informação que indique que se tratava de um atentado destinado diretamente aos alemães. O ataque aconteceu em Sultanahmet, o centro turístico da cidade, perto da Mesquita Azul e da Basílica de Santa Sofia.

Entrevistado pela emissora de TV pública alemã, o ministro da Justiça, Heiko Maas, disse hoje que o nível de alerta no país não mudou depois do atentado e lembrou que, embora não haja informação sobre possíveis alvos concretos, a "Alemanha é alvo do terrorismo".

As vítimas estavam em Istambul com a agência Lebenslust Touristik, que, segundo o seu site, está em contato direto com as famílias dos turistas e com o governo alemão, em uma viagem por três países.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos