Netanyahu defende indicação de ex-líder colono como embaixador no Brasil

Jerusalém, 14 jan (EFE).- O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, insistiu nesta quinta-feira na indicação do antigo líder colono Dani Dayan como embaixador no Brasil, apesar de sua indicação para o posto já ter sido questionada pelo Itamaraty em agosto do ano passado.

"Dayan continua sendo meu candidato", assegurou Netanyahu durante o encontro anual com a imprensa internacional que realizou hoje em um hotel de Jerusalém.

Em agosto de 2015, Israel designou o ex-líder colono em substituição do embaixador anterior, Raed Mansour.

O governo israelense referendou a nomeação em setembro, embora desde então o governo brasileiro não tenha respondido positivamente e, em mensagens despachadas em máxima confidencialidade, tenha esclarecido que preferiria outro candidato, que não representasse a colonização judaica.

Há três semanas, e sem que se recebessem ainda notícias do Brasil, a vice-ministra das Relações Exteriores israelense, Tzipi Hotovely, instou o país a aceitar Dayan a fim de evitar uma crise diplomática.

"Temos relações crescentes com o Brasil", disse Netanyahu ao ser perguntado pelo tema, mas ressaltando seu temor de que passos como o dado pela União Europeia ao etiquetar produtos procedentes de territórios ocupados por Israel como tais e não como israelenses sejam o começo de outra era.

"Que a etiquetagem de pessoas seja o próximo passo depois dos produtos", concluiu com ironia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos