Acnur comemora expansão de programa dos EUA para refugiados centro-americanos

Washington, 15 jan (EFE).- A Agência da Organização das Nações Unidas (ONU) para os refugiados (Acnur), comemorou nesta sexta-feira a decisão anunciada pelos Estados Unidos de que planeja "expandir" seu programa de admissão de refugiados para receber imigrantes de El Salvador, Guatemala e Honduras que fogem da violência.

"A iniciativa dos Estados Unidos de procurar reassentar refugiados da América Central é um passo positivo para ajudar a tratar a crescente crise dos refugiados", assinalou em comunicado o representante regional da Acnur nos Estados Unidos, Shelly Pitterman.

A nota foi divulgada depois que o secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, anunciou na quarta-feira que seu governo pretende "expandir" seu programa de admissão de refugiados desses países, mediante centros de processamento administrados pela ONU.

Para Acnur, o anúncio reflete "a urgente necessidade" de realizar uma ação mundial coordenada para "fazer frente a esta situação humanitária". A organização afirmou estar "seriamente preocupada" com o bem-estar das pessoas que continuam escapando da violência no Triângulo Norte da América Central.

"A Acnur está trabalhando lado a lado com os governos da região e em conjunto com seus parceiros da sociedade civil, com o objetivo de melhorar a capacidade de identificação daquelas pessoas provenientes da região que devem fugir devido à violência", indicou a agência.

O organismo internacional pediu aos governos para introduzir recursos legais para proteger os refugiados "da exploração de traficantes" e se mostrou favorável a implantação de "procedimentos claros e acessíveis" para solicitantes de asilo.

Quanto às repatriações de imigrantes ilegais, a Acnur pediu que elas sejam feitas sempre após o devido processo legal, e que sejam executadas "de forma ordenada, segura e respeitosa para a dignidade" dos indivíduos e das famílias envolvidas.

"Em particular, a deportação de crianças separadas ou sem acompanhante deverá ser baseada em uma análise sobre o interesse superior dos meninos e meninas", concluiu.

No início deste ano, o governo de Barack Obama realizou batidas em vários estados do país dirigidas a acelerar as deportações de imigrantes centro-americanos, algo que muitos congressistas democratas e a favorita à candidatura presidencial do partido, Hillary Clinton, se opuseram.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos