Terrorista presente no hotel diz houve 30 mortos e ameaça aFrança

Nouakchott, 16 jan (EFE).- Um terrorista da Al Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI), que participou do ataque ao hotel Splendid de Ouagadougou afirmou antes da operação do exército que liberou o local que conseguiram matar 30 pessoas.

O terrorista, em uma gravação sonora enviada à agência privada mauritana "Al Akhbar", ameaçou abertamente a França: "Combateremos a França até a última gota de nosso sangue", disse.

Não está claro se o terrorista, que falava em árabe no dialeto hasaniya, típico do Sahel (falado em Mauritânia, Saara Ocidental e no norte do Mali) morreu na contraofensiva ou se conseguiu escapar após enviar a mensagem, mas foi gravado pelas câmeras de segurança no interior do estabelecimento durante o ataque.

Nesta mensagem, de pouco mais de três minutos, o terrorista disse ter contado ele mesmo 11 corpos, e que conseguiram matar 30 pessoas no total.

Antes desta mensagem, a AQMI havia enviado outra em que reivindicava o atentado, e precisou que tinha sido perpetrado pelo grupo de Al Mourabitoun, dirigido pelo famoso jihadista argelino Mokhtar Belmokhtar.

O mesmo grupo de Belmokhtar já havia reivindicado um ataque semelhante - um hotel de luxo frequentado por ocidentais - em 20 de novembro em Bamaco, capital do Mali, que deixou 19 mortos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos