Rohani promete melhor relação com AIEA após fim de sanções contra o Irã

Teerã, 17 jan (EFE).- O presidente do Irã, Hassan Rohani, prometeu neste domingo uma melhor relação com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) após a entrada em vigor do acordo que pôs fim às sanções contra o país, depois que o organismo das Nações Unidas reconheceu o direito iraniano de ter um programa atômico pacífico.

Em um encontro com a imprensa por ocasião do início do denominado Plano Integral de Ação Conjunta (JCPOA, na sigla em inglês), Rohani se referiu assim à visita a Teerã do diretor-geral da AIEA, Yukiya Amano, com quem se encontrará entre hoje e amanhã para tratar a nova relação entre ambos nascida após a aplicação do acordo nuclear.

Rohani apontou que seu país já coopera com a AIEA dentro do programa de salvaguardas nucleares e que no futuro continuará fazendo assim, ao mesmo tempo em que assinalou que as condições agora "são diferentes" se forem comparadas com quando "corpos internacionais e o Conselho de Segurança da ONU consideravam ilegais" as atividades iranianas.

"Hoje todos dizem que as atividades (atômicas) iranianas são legais e corretas, embora sempre tenha sido assim. O mundo reconheceu as atividades nucleares iranianos", acrescentou.

Dessa forma, o líder iraniano ressaltou que o pacto nuclear "abre o caminho" para que tecnologia nuclear possa entrar no Irã, ao mesmo tempo em que suas instalações como o centro atômico de Fordo se transformarão "em centros de pesquisa e desenvolvimento".

"O reator de Arak será modernizado e desenvolvimentos tecnológicos e comerciais ganharão ímpeto. Por isso, o Irã terá melhores relações com a AIEA", resumiu.

A AIEA anunciou ontem, por sua parte, que Amano viajaria ao Irã para discutir "o papel da organização em verificar e supervisionar os compromissos nucleares (iranianos) sob o JCPOA".

O JCPOA estipula uma série de limitações do programa nuclear iraniano, como uma redução substancial de sua capacidade de enriquecer urânio e de suas reservas acumuladas desse material.

Segundo o acordo, a AIEA deverá verificar o cumprimento em 18 instalações nucleares e outros nove locais na República Islâmica.

Para poder garantir uma supervisão permanente no Irã, a AIEA disporá de nova tecnologia de alta gama, incluindo câmeras de vigilância, que funcionarão 24 horas nos 365 dias do ano.

O objetivo do JCPOA, negociado durante 18 meses pelo Irã e o chamado Grupo 5+1 (Estados Unidos, Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha) tem como objetivo impedir que a República Islâmica possa obter armas nucleares nos próximos 10 a 15 anos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos