"Caçadores de tesouro" vasculham antiga mansão de Pablo Escobar em Miami

Miami, 18 jan (EFE).- Pessoas equipadas com picaretas, marretas, detectores de metais e um radar ultrassensível vasculharam nesta segunda-feira a antiga mansão em Miami Beach, na Flórida, do narcotraficante colombiano Pablo Escobar, que morreu há 22 anos em uma operação policial em Medellín.

Devido ao fato de que a mansão será derrubada, esses "caçadores de tesouro" têm até esta terça-feira, 19 de janeiro, para encontrar um suposto botim de dinheiro ou drogas que o fundador do Cartel de Medellín pode ter escondido no imóvel.

Até o momento só foi encontrado um pacote de uma substância que poderia ser cocaína em uma gaveta da cozinha.

Os donos da mansão, o empresário Christian de Berdouare, fundador e gerente geral de uma rede de restaurantes, e sua esposa, a jornalista Jennifer Valoppi, têm suspeitas de que na casa que compraram em 2014 por US$ 10 milhões pode haver um tesouro escondido.

O casal não descarta a possibilidade de encontrar uma surpresa na mansão que foi confiscada pelas autoridades americanas no final do anos 80 e, posteriormente, abandonada por seu proprietário anterior. Escobar tinha o costume de esconder dinheiro em todas suas mansões.

A casa se encontra em um sítio de quase 700 metros quadrados em North Bay Road, mas suas descascadas paredes em rosa pastel e sua piscina abandonada não refletem a vida de excessos do grande magnata da droga dos anos 80.

Aquela era a "idade de ouro dos traficantes", segundo comentou à Agência Efe Tom Cash, então responsável para Flórida, Caribe e América Latina da Agência Antidrogas Americana (DEA).

Os narcotraficantes acumulavam tanto dinheiro que não sabiam o que fazer com ele. "Não podiam comê-lo, não podiam bebê-lo, portanto tinham que investi-lo. E que melhor lugar para investir que Miami?", comentou.

Cash acredita que possa haver algum dinheiro escondido entre as paredes ou no piso, como ocorreu em 1990 quando a DEA encontrou dentro de um muro de uma casa em Porto Rico cerca de US$ 14 milhões em cédulas.

No entanto, o novo proprietário assegurou que não lhes preocupa o suposto tesouro que poderiam achar, mas o que querem, por enquanto, é "destruir a casa para que a energia negativa desse sujeito vá embora".

No entanto, dada a expectativa criada ao redor da mansão, Berdouare e sua esposa mandaram vasculhar as paredes e os pisos para o caso de haver compartimentos secretos com dinheiro, ouro, joias ou "até um cadáver".

A expectativa é que os trabalhos dos "caçadores de tesouros" terminem nesta terça-feira para que comecem as tarefas de demolição da casa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos