Confrontos entre EI e exército sírio continuam em Deir ez Zor

Beirute, 18 jan (EFE).- Os combates entre o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) e o Exército da Síria continuam nesta segunda-feira em Deir ez Zor, onde os jihadistas garantiram ter tomado alguns depósitos de armas do regime, depois de sequestrar e assassinar centenas de pessoas em um ataque a essa cidade na região nordeste do país.

De acordo com o Observatório Sírio de Direitos Humanos, desde ontem à noite foram registrados grandes enfrentamentos nos bairros de al-Rashediyeh e Al Yabilia, e nos arredores de pelo menos mais quarto localidades. Estes confrontos se devem a uma ofensiva dos extremistas contra as áreas sob o controle do regime em Deir ez Zor, capital da província homônima.

Segundo a ONG, uma mulher e um menor morreram hoje atingidos por projéteis lançados pelos radicais contra os distritos de Al-Jura e al-Qusour, em poder das autoridades de Deir ez Zor, enquanto outro civil morreu por um bombardeio do regime em Al-Bghailiye, que foi tomada pelo EI anteontem.

A agência de notícias oficial síria, "Sana", que citou fontes no terreno, apontou que unidades das forças armadas recuperaram o domínio de um complexo de imóveis em Al-Bghailiye, situado no ponto mais alto da cidade, após matar um número indeterminado número de jihadistas entrincheirados no local.

Os soldados entraram nas casas e eliminaram artefatos explosivos colocados pelos terroristas. Outras unidades militares, por sua vez, destruíram posições do EI nos povoados de Al-Hisan e Al-Gneineh, e nos arredores de Ayash, provocando "fortes perdas" humanas e de armamento de seus oponentes, segundo a agência "Sana".

Os militares enfrentaram combatentes do EI que conseguiram se infiltrar perto do bairro de Al-Rashediyeh, onde mataram e feriram vários extremistas, alguns dos quais fugiram.

Em comunicado divulgado ontem à noite através da internet, o grupo terrorista afirmou que "os soldados do califado" conquistaram os armazéns de armas de Ayash, após combates contra o exército "Nusayri" (alauita, seita à qual pertence o presidente sírio, Bashar al Assad). Nesses depósitos, os radicais se apoderaram de carros de combate e outros veículos, além de armas médias e grandes, segundo a nota, cuja autenticidade não pôde ser comprovada.

No último sábado, o EI começou um ataque a Deir ez Zor, onde o Observatório indicou ontem que 85 civis foram assassinados e mais de 400 pessoas foram sequestradas. Segundo a ONG, 50 soldados das tropas governamentais e de milícias também morreram durante os confrontos de sábado e de ontem.

Já a agência oficial "Sana" elevou o número de vítimas dos terroristas a 300, incluindo dezenas de crianças e mulheres, grande parte parente de soldados de Deir ez Zor.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos