Bombardeios de coalizão árabe matam 21 no Iêmen, denunciam rebeldes

Sana, 19 jan (EFE).- Pelo menos 21 civis morreram nas últimas 24 horas em bombardeios da coalizão árabe liderada pela Arábia Saudita contra as províncias de Saada, no norte do Iêmen, e de Taiz, no sudoeste, denunciou a imprensa dos rebeldes xiitas houthis.

A agência oficial de notícias iemenita, Saba, controlada pelo movimento rebelde, informou hoje que pelo menos 14 pessoas de uma mesma família morreram ontem à noite, e outras cinco ficaram feridas em bombardeios da coalizão a uma casa na região de Maran, onde nasceu o líder rebelde, Abdel Malek al Houthi.

Além disso, a televisão "Al Massira", vinculada aos houthis, informou que seis estudantes e uma mulher morreram hoje em bombardeios da coalizão contra a região de Al Harir, perto da cidade de Taiz.

A coalizão bombardeou hoje alguns edifícios do complexo esportivo Al Zaura (A Revolução) na capital do Iêmen, Sana, causando grandes destroços, como constatou a Agência Efe.

Além disso, a coalizão atacou uma fábrica de alimentos no bairro de Al-Nahda e as ambulâncias começaram a transferir os feridos, mas ainda não se sabe o número exato de vítimas.

Pelo menos 22 policiais iemenitas morreram e dezenas de pessoas ficaram feridas em um bombardeio lançado ontem pela aviação da coalizão árabe sobre a sede principal da polícia, no centro da capital.

A coalizão liderada por Riad ataca os houthis no Iêmen desde março e bombardeia diariamente as posições e zonas controladas pelos rebeldes, inclusive Sana.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos