Presidente da China começa em Riad viagem pelo Oriente Médio

Riad/Cairo, 19 jan (EFE).- O presidente da China, Xi Jinping, começou nesta terça-feira em Riad uma viagem pelo Oriente Médio, em busca de novas oportunidades comerciais e de ajudar a reduzir a tensão entre Arábia Saudita e Irã.

Em Riad, no Palácio Al Yamamah, Xi se reuniu com o rei saudita Salman bin Abdelaziz, que organizou um banquete em sua homenagem, segundo um comunicado oficial da agência oficial SPA.

Participaram da cerimônia oficial de boas-vindas o segundo príncipe herdeiro saudita e ministro de Defesa, Mohammed bin Salman, e o governador de Riad, Faiçal bin Bandar.

O presidente chinês viaja acompanhado pelo chefe da diplomacia, Wang Yi, e dois responsáveis do Escritório Político da Comissão Central do Partido Comunista Chinês.

Está prevista a assinatura em Riad de vários acordos econômicos, comerciais e científicos, como já havia adiantado esta semana o embaixador chinês no reino saudita, Li Chengwen.

O diplomata disse em entrevista coletiva que Xi abordará com o monarca saudita "o desenvolvimento e a melhora das relações bilaterais no futuro, assim como as questões regionais e internacionais" que interessam aos dois países.

O embaixador destacou que atualmente operam na Arábia Saudita 160 empresas chinesas e que as trocas comerciais entre eles nos primeiros 11 meses de 2015 foram de US$ 47,6 bilhões (cerca de R$ 190 bilhões), e em 2014 de US$ 70 bilhões (cerca de R$ 280 bilhões).

No marco da cooperação da China com os países árabes, que inclui a energia, o comércio e a tecnologia espacial, o representante de Pequim ressaltou que "a Arábia Saudita é um dos parceiros mais importantes por seus grandes capacidades".

Depois da Arábia Saudita, Xi viajará ao Egito e em seguida ao Irã, com a iniciativa 'uma faixa, uma rota' (a nova Rota da Seda) como pedra fundamental de suas conversas com as autoridades locais.

Em artigo publicado hoje no jornal egípcio "Al-Ahram", Xi afirmou "se podem vincular as estratégias de desenvolvimento das duas partes através da participação na construção de 'uma faixa, uma rota'".

Com este plano, Pequim pretende construir uma rede de infraestruturas em direção ao Ocidente, desde a Ásia até a Europa, passando pela África.

Esse objetivo, indicou Xi, poderá ser conseguido através da ampliação da cooperação nos setores de energia, comércio, investimento, infraestrutura e alta tecnologia.

Neste sentido, deu as boas-vindas à disposição do Egito e de outros países árabes de compartilhar seu projeto de "desenvolvimento harmônico e crescimento interconectado".

O presidente da China defendeu a integração entre o grande mercado de seu país, seus capitais financeiros e sua tecnologia avançada, e as políticas econômicas dos países árabes, que se baseiam no desenvolvimento da indústria e na consolidação do emprego.

No artigo, lembrou que seu país tem relações de associação estratégica com oito países árabes e que é o segundo parceiro econômico do mundo árabe, com um volume de troca comercial acima dos US$ 251 bilhões (mais de R$ 1 trilhão) em 2014.

Esta viagem ao Oriente Médio é a primeira ao exterior do presidente da China este ano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos