EI liberta 270 reféns sequestrados no nordeste da Síria, diz ONG

(Atualiza com dados sobre avanço do EI no terreno)

Beirute, 20 jan (EFE).- O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) libertou na noite de terça-feira 270 reféns do grupo de 400 pessoas que sequestrou no sábado na zona de Al Baguiliya, ao norte da cidade de Deir ez Zor, no nordeste da Síria, informou nesta quarta-feira o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Os libertados são menores de 14 anos, mulheres e homens maiores de 55 anos.

O Observatório destacou que o EI retém cerca de 130 homens e mulheres, aos quais está investigando para saber se têm vínculos ou não com o regime sírio de Bashar al-Assad.

A essas pessoas se somam 50 homens que os extremistas capturaram durante o dia de ontem em batidas em Al Baguiliya.

O governo de Damasco e o Observatório denunciaram o fim de semana passado o massacre e o sequestro de centenas pessoas por parte dos radicais em Al Baguiliya, embora ativistas nessa área puseram em dúvida essas informações e qualificaram de "falsidades" as notícias sobre o rapto de 400 pessoas.

No sábado, o EI lançou uma ofensiva contra os distritos sob o controle do regime em Deir ez Zor e conquistou Al Baguiliya.

O Observatório afirmou que as forças governamentais conseguiram recuperar vários pontos no sul de Al Baguiliya e um edifício na Universidade Privada da "Al Jazeera", nos arredores de Deir ez Zor.

A fonte apontou que o regime contra-atacou com a cobertura de sua artilharia e da força aérea nacional e da russa, que estão bombardeando posições dos extremistas na periferia da cidade.

No entanto, nas últimas horas, o EI tomou o controle do estratégico monte de Al Hayif, próximo à cidade de Ayash, desde o que se controlam vários pontos do arredor noroeste de Deir ez Zor.

Nessa zona, pelo menos 17 soldados e milicianos pró-governo faleceram, seis deles assassinados pelos radicais após tê-los feito prisioneiros.

Por outro lado, o Observatório destacou que supostos aviões russos lançaram comida nas áreas sob o domínio das autoridades.

O regime mantém o aeroporto militar de Deir ez Zor, os bairros de Al Yura e Al Qusur e o quartel da Brigada 137 do Exército, todos eles no oeste da cidade, onde calcula-se que há entre 250 mil e 300 mil pessoas cercadas há mais de um ano pelos jihadistas.

O EI proclamou no final de junho de 2014 um califado na Síria e Iraque, onde conquistou partes do norte e o centro de ambos países. EFE

ssa/ff

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos