Supostos bombardeios russos deixam pelo menos 20 mortos no norte da Síria

Beirute, 20 jan (EFE).- Pelo menos 20 pessoas morreram nesta quarta-feira, entre elas cinco menores de idade, por supostos bombardeios da aviação da Rússia nas províncias de Deir ez Zor e Idlib, no nordeste e noroeste da Síria, respectivamente, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Desse total pelo menos 13, todos eles civis, morreram em ataques aéreos contra três localidades da periferia noroeste da cidade de Deir ez Zor, capital provincial.

Seis deles morreram em um bombardeio contra um funeral na cidade de Shaqra, enquanto quatro morreram na cidade de Al-Huseiniya e três em Al Hisan.

No sábado, o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) iniciou uma ofensiva a partir do norte para tomar o controle das áreas em poder do regime sírio em Deir ez Zor e seus arredores.

Atualmente, os combates se concentram na cidade de Al-Bughayliyah, ao noroeste da capital provincial, aonde acontecem bombardeios da aviação nacional e russa contra posições do EI.

Por outro lado, o Observatório acrescentou que pelo menos sete pessoas morreram nesta quarta-feira e outras 20 ficaram feridas por ataques da força aérea da Rússia contra a aldeia de Hazano, na província de Idlib.

Segundo dados da ONG, divulgados hoje, pelo menos 3.049 pessoas morreram no território sírio pelos bombardeios da Rússia, aliada do regime de Bashar al Assad, desde o último dia 30 de setembro, data na qual começaram.

Do total pelo menos 1.015 eram civis, 893 eram membros do EI e 1.141, combatentes de facções rebeldes sírias e da Frente al Nusra, a filial da Al Qaeda no país árabe.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos