Governo do Haiti estuda adiar eleições se oposição aceitar "condições"

Porto Príncipe, 20 jan (EFE).- O governo do Haiti estaria disposto a adiar a realização do segundo turno das eleições presidenciais, sempre e quando a oposição cumprir com uma "série de condições", informaram nesta quarta-feira à Agência Efe fontes ligadas ao escritório do primeiro-ministro do país, Evans Paul.

As fontes, que pediram o anonimato, se limitaram a reafirmar que as autoridades consideram "adiar as eleições" em troca dessas "condições" não especificadas.

No entanto, a informação reforça que se a oposição se negar a cumprir tais condições, o governo seguirá adiante com o processo eleitoral, que está previsto para o próximo domingo.

As informações provenientes do escritório do primeiro-ministro chegam horas depois que o Senado do país votou em favor de adiar as eleições, assim como de nomear uma comissão para investigar as denúncias de "graves irregularidades" cometidas durante o primeiro turno, que foi realizado no dia 25 de outubro.

Nesta quarta-feira, o país caribenho viveu o terceiro dia consecutivo de protestos populares encorajados pela oposição, que exige a não realização das eleições, assim como a renúncia do presidente Michel Martelly para que um governo interino seja instituído e organize o processo eleitoral.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos