Podemos propõe formação de governo de coalizão de esquerda na Espanha

Madri, 22 jan (EFE).- O líder do Podemos, Pablo Iglesias, propôs nesta sexta-feira ao rei Felipe VI a formação de um governo de coalizão na Espanha com forças de esquerda, com os socialistas do PSOE, da Esquerda Unida e de outros partidos.

Em entrevista coletiva depois de se reunir com o monarca, Iglesias anunciou que está disposto a trabalhar obviamente para a formação desse governo, no qual seria vice-presidente, enquanto o socialista Pedro Sánchez ocuparia a chefia do Executivo.

Nas eleições legislativas do dia 20 de dezembro nenhuma força política obteve maioria suficiente para formar governo sozinho, por isso que são necessários acordos entre diferentes partidos.

O mais votado foi o Partido Popular (PP), com 123 deputados, seguido por 90 do PSOE, Podemos (69) e os liberais do Ciudadanos (40), enquanto a Esquerda Unida obteve dois.

A soma de PSOE, Podemos e Esquerda Unida dá 161 deputados e a maioria absoluta é de 176, por isso que a proposta de Iglesias inclui outras forças minoritárias.

Iglesias disse que Felipe VI "esteve em seu lugar" e viu como "razoável" sua proposta de coalizão de esquerda "tendo em vista o resultado das eleições".

O líder do Podemos afirmou que espera que sua proposta seja aceita pelo PSOE, cujo dirigente, Sánchez, será também recebido hoje pelo rei, e disse que nesse eventual Executivo ele mesmo se vê como vice-presidente, enquanto o socialista seria presidente.

O rei encerra hoje a rodada de consultas com os líderes dos partidos representados no Parlamento. Após receber Iglesias e depois Sánchez, Felipe VI se reunirá com o presidente Rajoy, que aspira à reeleição.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos