Ministro mexicano nega pressão dos EUA para extradição de "El Chapo" Guzmán

  • Tomas Bravo/Reuters

    O narcotraficante Joaquin Guzmán, mais conhecido como "El Chapo", foi recapturado no início do ano

    O narcotraficante Joaquin Guzmán, mais conhecido como "El Chapo", foi recapturado no início do ano

O secretário mexicano de Governo, Miguel Ángel Osorio Chong, garantiu que o país não é pressionado pelos Estados Unidos para o processo de extradição de Joaquín "El Chapo" Guzmán, que foi acelerado.

"De nenhuma maneira, pessoalmente sou eu que tenho relação com a maioria de instâncias dos Estados Unidos de segurança e, certamente, nunca fizeram um comentário a respeito", negou o secretário em entrevista à "Rádio Fórmula".

Ontem o presidente do México, Enrique Peña Nieto, disse que a Procuradoria Geral da República (PGR) está trabalhando para "acelerar" a extradição do narcotraficante ao país vizinho.

A respeito, Osorio Chong ressaltou que "desde o princípio foi dito que não haveria nenhuma oposição a este procedimento".

"El Chapo" enfrenta dezenas de acusações por narcotráfico, lavagem de dinheiro e outros delitos no Arizona, Texas, Califórnia e Nova York.

O narcotraficante está preso na cadeia de máxima segurança de Altiplano, a mesma de onde escapou em julho de 2015 através de um túnel de 1,5 quilômetros que partia do chuveiro de sua cela.

Anteriormente, o narcotraficante já tinha fugido em 2001 da prisão de Puente Grande (Jalisco) escondido dentro de um carrinho de lavanderia.

Osorio Chong proclamou em algumas ocasiões anteriores que uma terceira fuga do narcotraficante "seria imperdoável" e que por isso foram reforçadas as medidas de segurança da prisão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos