ONU aprova envio de missão à Colômbia para verificar cessar-fogo

Nações Unidas, 25 jan (EFE).- O Conselho de Segurança da ONU aprovou nesta segunda-feira a criação de uma missão política que ajude a supervisionar o cessar-fogo definitivo negociado entre o governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Por unanimidade, os 15 membros do Conselho adotaram uma resolução na qual encarregam o secretário-geral da organização, Ban Ki-moon, de iniciar "imediatamente" os preparativos para iniciar essa missão, que terá um mandato inicial de 12 meses.

Ban deverá apresentar ao principal órgão de decisão das Nações Unidas os detalhes dessa missão dentro de um período máximo de 30 dias após a assinatura definitiva do acordo de paz.

O Conselho decidiu que a missão estará liderada por um representante especial do secretário-geral e formada por "observadores internacionais desarmados".

Os inspetores da ONU formarão o componente internacional do mecanismo tripartite de monitoração e verificação do cessar-fogo pactuado pelas partes, no qual também participarão representantes escolhidos pelo governo e pelas Farc.

Como concordaram as partes, espera-se que os especialistas procedam de países da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac).

Nesse sentido, a resolução afirma que o Conselho de Segurança "espera com interesse as contribuições" dos Estados-membros da organização regional.

Além disso, solicita a Ban que, uma vez iniciada a missão, informe do cumprimento do mandato a cada 90 dias e expressa "sua disposição a considerar a possibilidade" de prorrogar a operação sob pedido conjunto do governo colombiano e das Farc.

No texto, redigido pelo Reino Unido e que contou com o apoio de todos os membros, o Conselho de Segurança ressalta seu "pleno compromisso com o processo de paz" e respalda as medidas estipuladas pelas partes.

O embaixador britânico, Matthew Rycroft, lembrou que a Colômbia está há cinco décadas sem paz e destacou a "resistência" demonstrada pela população do país durante esse tempo e a "unidade" com a qual o Conselho de Segurança respalda o processo.

"Juntos podemos assegurar que a implementação desta resolução seja rápida e efetiva para apoiar a Colômbia a conseguir um futuro estável e próspero para todos seus cidadãos", disse Rycroft.

A chanceler colombiana, María Ángela Holguín, representou seu país na votação da resolução, um passo com o qual as Nações Unidas deram uma resposta oficial à solicitação efetuada na semana passada pela Colômbia para que o organismo internacional participasse da supervisão da paz.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos