França recebe presidente do Irã com expectativa de firmar novos negócios

Paris, 27 jan (EFE).- A França recebeu nesta quarta-feira o presidente do Irã, Hassan Rohani, uma visita para simbolizar o degelo nas relações da República Islâmica com a Europa, que se traduzirá em uma série de novos negócios que serão anunciados.

Rohani chegou a Paris na tarde de hoje, onde teve um encontro informal com uma delegação formada pelos mais importantes empresários franceses e pelo ministro da Economia, Emmanuel Macron.

O grande evento da viagem oficial, porém, está marcado para amanhã. Rohani será recebido pelo presidente da França, François Hollande, no Palácio do Eliseu, se tornando no primeiro líder iraniano a visitar o país em 17 anos.

A viagem de Rohani à França estava marcada inicialmente para 17 de novembro do ano passado, mas foi adiada por causa dos atentados de Paris. Com a visita à capital francesa, o presidente iraniano encerra seu primeiro tour pela Europa, depois de ter visitado também a Itália.

Fontes do Eliseu destacaram que a viagem marca o "aprofundamento de um diálogo político exigente entre a França e o Irã". Mas lembraram que, apesar das tensões políticas, "as pontes entre ambos os partidos nunca se romperam completamente".

Além disso, destacam o relevante contexto político da viagem, que ocorre menos de um mês antes da realização das eleições legislativas do Irã.

Antes de ir ao Eliseu, Rohani participará de um encontro com a diretora-geral da Unesco, Irina Bokova, e depois será recebido pelo ministro das Relações Exteriores da França, Laurent Fabius. Mais tarde, após a reunião com Hollande, haverá uma entrevista coletiva conjunta.

Além do conteúdo diplomático, a volta do Irã ao cenário internacional será marcada pela intensa agenda econômica da visita.

O presidente desembarcou em Paris acompanhado 11 membros do alto escalão de seu governo, quase todos eles ligados à economia, e por uma delegação de empresários. Eles terão encontros com o Movimento das Empresas Francesas (Medef, na sigla em francês), que contarão com a presença do primeiro-ministro do país, Manuel Valls.

Tudo indica que será anunciada a compra de 114 aviões da Airbus pelo Irã, aeronaves com as quais o governo da República Islâmica pretende renovar a frota da Iran Air, muito prejudicada pelas sanções internacionais impostas por causa do programa nuclear.

Segundo a imprensa local, também será assinado um acordo entre a PSA Peugeot-Cirtröen e a Iran Khodro para a criação de uma companhia conjunta que permita a volta da fabricante francesa ao país.

A previsão é que a nova empresa produza 200 mil veículos por ano, com a utilização exclusiva de peças locais. Os primeiros carros devem chegar o mercado já em 2017.

Para garantir que nada prejudicará a passagem de Rohani, os anfitriões decidiram cancelar a realização do tradicional jantar de gala com qual normalmente a França recebe os chefes de Estado. Para não ter que evitar servir vinho, como exigia a delegação iraniana, os franceses optaram deixar essa cortesia de lado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos