Após 36 dias soterrados, quatro mineiros são resgatados de mina na China

Pequim, 29 jan (EFE).- Quatro mineiros que ficaram soterrados pelo desmoronamento de uma mina de gesso no leste da China no último dia 25 de dezembro foram resgatados nesta sexta-feira após permanecer 36 dias sob a terra, informaram as autoridades locais.

Os resgatados se encontram em bom estado físico e psicológico, mas foram hospitalizados para submeter-se a exames médicos, segundo a rede de televisão oficial "CCTV".

Um total de 29 pessoas trabalhava na mina do condado de Pingyi, da província de Shandong (leste da China), no momento do acidente.

Delas, uma foi declarada morta, 13 seguem desaparecidas e 15 foram resgatadas, entre elas os quatro de hoje.

As autoridades locais anunciaram que os trabalhos de busca dos 13 desaparecidos continuarão, mas ressaltaram que sua atividade se centrará na superfície devido às inundações que há sob a terra.

As equipes de salvamento conseguiram tirar os mineiros depois que perfuraram um túnel de 220 metros de profundidade.

Nos dias posteriores à derrubada, as equipes de resgate cavaram pequenos buracos e conseguiram localizar quatro dos soterrados, segundo a agência oficial "Xinhua".

Através desses buracos lhes fizeram chegar água, comida e roupa que lhes permitiram seguir com vida.

Na operação de resgate participaram hoje cerca de 400 pessoas, entre bombeiros, militares e especialistas neste tipo de intervenções, alguns deles de outros países.

O colapso da mina foi de tal magnitude que gerou um tremor equivalente ao de um terremoto de 4 graus na escala Richter que foi detectado pelo Centro de Redes de Terremotos da China.

Os meios de comunicação chineses publicaram várias fotografias nas quais se observavam grandes fendas em campos de cultivo e estradas provocadas pelo desmoronamento da mina.

O presidente da empresa Yurong, proprietária da instalação, se suicidou 48 horas depois do incidente, no último dia 27 de dezembro.

Dias mais tarde, quatro funcionários públicos do condado de Pingyi foram destituídos e acusados de uma série de "incidentes de segurança laboral" vinculados com o desmoronamento.

Todos os projetos mineradores da área dedicados à extração de minerais diferentes do carvão foram detidos temporariamente, afirmaram hoje as autoridades locais citadas pela "CCTV".

Os 36 dias em que os mineiros chineses estiveram presos sob a terra são um pouco habitual caso de sobrevivência, mas os resgates de outros desmoronamento foram inclusive mais prolongados, como o dos 33 trabalhadores de uma mina chilena que ficaram sepultados durante 70 dias entre 5 de agosto e 13 de outubro de 2010.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos