Caucus de Iowa (EUA) tem expectativa por recorde de participação latina

Des Moines (EUA), 1 fev (EFE).- A expectativa é que cerca de 10.000 eleitores latinos participem nesta segunda-feira no caucus (assembleia popular) de Iowa, um número dez vezes superior ao de 2012 e que marcaria um recorde histórico no primeiro estado a votar nas eleições primárias dos Estados Unidos, garantiu hoje a organização LULAC.

"Alcançamos nosso objetivo de que pelo menos 10.000 latinos em todo Iowa se comprometam a ir a um caucus esta noite", disse à Agência Efe o vice-presidente para o meio oeste americano da Liga de Cidadãos Latino-Americanos Unidos (LULAC), Joe Enríquez Henry.

Esse nível de participação marcaria um enorme avanço desde o caucus de 2012, quando apenas 1.000 latinos compareceram, segundo a LULAC, que chegou a essa estimativa a partir de consultas por telefone e visitas a lares de latinos em todo o estado.

A organização calcula que entre "55% e 60%" dos latinos consultados irão a um caucus democrata, e cerca de 40% irá a um republicano, apesar de a proporção de hispânicos que votam nesse nas eleições gerais ser muito inferior.

"Temos bastantes latinos jovens que vão ao caucus republicano para deixar claro que não se tolerará o ódio", em resposta aos comentários xenófobos do favorito entre os pré-candidatos desse partido, o magnata Donald Trump, assegurou Enríquez Henry.

Entre eles, "vários" indicaram que apoiarão o ex-governador Jeb Bush, que está na quinta posição nas pesquisas, mas tem "a única campanha que fez uma aproximação eficaz dos latinos" no estado, segundo Enríquez Henry.

Entre os que irão ao caucus democrata, o responsável da LULAC acredita que "os latinos mais velhos, que já participaram em um caucus ou mais, parecem apoiar Hillary (Clinton)".

No entanto, a maioria dos que se comprometeram a votar corresponde ou a pessoas que participam pela primeira vez no caucus ou a "menores de 30 anos", e entre esses dois grupos há "indicações de que estão mais a favor de Bernie (Sanders) ou de (Martin) O'Malley", sustentou Enríquez Henry.

A participação, tanto latina como do resto da população, será fundamental para inclinar a balança a favor de Hillary ou de Sanders, que estão praticamente empatados nas pesquisas nesse estado.

Erika Andiola, estrategista da campanha para os latinos de Bernie Sanders, assegurou que a equipe do senador fez esforços em todo Iowa para chegar à população hispânica, ao contrário de Hillary, que se mostra "confiante" de que obterá o voto latino.

"Aqui em Iowa, especificamente com os latinos, (Hillary e sua equipe) não fizeram absolutamente nada de trabalho para estimular o latino a votar", afirmou Andiola hoje à Efe.

"É uma comunidade pequena (em Iowa, onde representa 5,6% da população), mas temos que assegurar-nos que ajudamos a crescer o poder político de uma comunidade que vai continuar crescendo", acrescentou.

Por outro lado, Steffen Schmidt, membro da LULAC e professor de política na Universidade Estadual de Iowa, disse à Efe que acredita que os latinos do estado "se inclinam mais por Hillary Clinton", porque a conhecem mais e Sanders "começou um pouco tarde a tentar se conectar com os eleitores hispânicos".

Seja como for, Enríquez Henry comentou que as campanhas em geral não se preocuparam de abordar os eleitores latinos, "porque muitos não participaram antes" nos caucus e portanto não estão nas listas de potenciais simpatizantes manejadas pelos estrategistas.

"A razão pela qual até agora houve uma participação tão baixa dos latinos no caucus é porque nunca foram convidados a participar", lamentou o responsável da LULAC.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos