Começa o caucus de Iowa, que abre corrida presidencial nos EUA

Des Moines (EUA), 1 fev (EFE).- O caucus de Iowa, que abre a etapa de eleições primárias nos Estados Unidos, começou nesta segunda-feira em escolas, ginásios e centros comunitários de todo o estado, com os pré-candidatos democratas quase empatados nas pesquisas e o republicano Donald Trump a um passo de conseguir seu primeiro grande triunfo.

Às 19h (horário local, 23h de Brasília), os eleitores democratas, por um lado, e os republicanos, pelo outro, compareceram a seus locais de votação para inaugurar o processo de seleção dos dois candidatos que em novembro concorrerão às eleições gerais.

Entre os democratas, o senador Bernie Sanders tem uma estreita vantagem de três pontos sobre a ex-secretária de Estado, Hillary Clinton; enquanto entre os republicanos, Trump está sete pontos à frente do senador Ted Cruz, segundo a última pesquisa divulgada hoje pela Universidade Quinnipiac.

Ao contrário das eleições primárias habituais, os moradores de Iowa só podem chegar para votar a partir das 19h e os processos são diferentes dependendo de se são republicanos ou democratas.

Os republicanos comparecem a um dos 1.681 locais de votação do estado e, após alguns discursos em favor de um ou outro pré-candidato, emitem um voto secreto.

Por outro lado, os democratas devem formar grupos de apoio a cada pré-candidato de forma pública, e cada concorrente deve reunir o respaldo de pelo menos 15% dos presentes em cada local de votação. Se não conseguirem, esses simpatizantes podem somar-se a outra das opções ou declarar-se "indecisos".

Nesse contexto, pode ser fundamental o que ocorra com os eleitores de Martin O'Malley, que tem cerca de 4% dos apoios nas pesquisas, porque se seus simpatizantes não conseguirem chegar ao patamar necessário de 15%, terão que escolher se apoiam Sanders ou Hillary, quase empatados.

O grau de participação em um caucus onde normalmente só comparece um de cada cinco eleitores registrados será também crucial.

"Teremos um cenário difícil esta noite se a participação for baixa", reconheceu hoje Sanders em declarações aos jornalistas.

A expectativa é se a disputa entre Sanders e Hillary conseguirá atrair os cerca de 240.000 participantes do caucus de 2008, vencido por um quase desconhecido Barack Obama.

Se Sanders conseguir mobilizar os mais jovens e os eleitores que nunca participaram do caucus, poderia romper o empate técnico e proclamar-se vencedor.

Por sua parte, Hillary tem o apoio de muitas mulheres de meia idade, entre as quais "muitas querem ver uma mulher na Casa Branca" e estão motivadas para ir votar, comentou à Agência Efe Steffen Schmidt, professor de política na Universidade Estadual de Iowa.

Apesar da complexidade do processo, Schmidt acredita que os resultados do caucus democrata começarão a sair em breve, porque "as pessoas que estão apoiando Bernie Sanders nunca vão abandoná-lo em favor de Hillary", e vice-versa.

No lado republicano, Trump confia também nos jovens e nos que nunca participaram do caucus para cimentar sua vitória, além do respaldo de alguns evangélicos, os eleitores republicanos mais ativos.

Em 2012, pouco mais de 120.000 pessoas participaram do caucus republicano, um recorde que pode ser batido hoje e superar os 135.000, o que indicaria com toda segurança que Trump conseguiu mobilizar novos eleitores e conquistará o apoio do estado.

O segundo colocado na disputa republicana, Ted Cruz, tem uma melhor organização no terreno, e declarou hoje que a corrida se encontra em um "empate estatístico" e que tudo dependerá "da participação" no caucus.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos