Em meio a suspeitas, Coreia do Norte comunica lançamento de satélite

Em Genebra

As autoridades da Coreia do Norte comunicaram à UIT (União Internacional de Telecomunicações) o futuro envio de um satélite de observação aérea, em meio a suspeitas de que na realidade prepara o lançamento de um míssil de longo alcance, informou nesta terça-feira (2) a instituição.

"Recebemos uma carta da missão diplomática da Coreia do Norte (perante a ONU e seus organismos especializados em Genebra) dizendo que planeja lançar um satélite de observação área, os que são utilizados no estudo da Terra", confirmou à Agência Efe o porta-voz da UIT, Sanjay Acharya.

A Coreia do Norte não comunicou à UIT - organismo das Nações Unidas dedicado à gestão dos espectros de rádio e das órbitas para satélites, entre outras funções - a data na qual pensa em pôr em órbita o satélite nem quando estará operacional.

Entre os poucos dados fornecidos foi informado que o aparelho estará em funcionamento por um período de quatro anos.

"Não recebemos nenhuma informação técnica sobre o satélite, portanto pediremos mais informação", antecipou Acharya.

O porta-voz ressaltou que a UIT necessita de dados técnicos que lhe permita inscrever o satélite em seu registro internacional de frequências.

Perguntado sobre se é possível fazer o lançamento de um míssil passar pelo de um satélite, o porta-voz se limitou a assinalar que "falta muita informação" e "é difícil dizer algo a respeito".

Pyongyang também comunicou à Organização Marítima Internacional (OMI), com sede em Londres, sobre o lançamento de um "satélite" entre os dias 8 e 25 de fevereiro, declarou à Efe o porta-voz desta instituição, Lee Adamson.

Adamson indicou que a notificação não dá detalhes do tipo de operação, embora o fato de que a OMI tenha sido comunicada implica que "pode haver risco para a navegação".

A OMI, a agência da ONU que vela pela segurança marítima, prevê emitir um comunicado nas próximas horas para advertir dos riscos às embarcações, segundo o porta-voz.

Adamson explicou ainda que esta é a primeira notificação recebida este ano da Coreia do Norte, que em 6 de janeiro garantiu que tinha testado uma bomba de hidrogênio, em seu quarto teste nuclear.

Durante os últimos dias se observou através de imagens de satélite uma intensificação da atividade nas instalações de lançamento de Dongchang-ri, ao nordeste da península coreana, razão pela qual acredita-se que o regime prepara um novo teste de míssil balístico de longo alcance.

O último lançamento deste tipo aconteceu em 2012, quando o regime conseguiu pôr em órbita um satélite com seu foguete de longo alcance Unha-3, ação que a comunidade internacional considerou parte de seu programa de desenvolvimento de mísseis balísticos intercontinentais e que deu lugar a novas sanções da ONU.

Neste momento o Conselho de Segurança das Nações Unidas estuda impor sanções adicionais a Coreia do Norte como resposta ao quarto teste atômico do regime de Kim Jong-un.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos