EUA fornecerá US$ 120 milhões para novo sistema israelense contra túneis

Jerusalém, 2 fev (EFE).- Os Estados Unidos financiarão com US$ 120 milhões um novo sistema israelense de detecção de túneis, que está sendo submetido a provas técnicas na fronteira com Gaza, publicou nesta segunda-feira o jornal "Yedioth Ahronoth".

O financiamento do dispositivo foi aprovado pelo Congresso americano depois da visita, em 14 de janeiro, de uma alta delegação do Pentágono liderada pelo subsecretário de Defesa, Robert O. Work à região, e após avaliar suas possibilidades de sucesso, explicou o jornal.

Trata-se de um complexo sistema de centenas de censores que seriam capazes de detectar pequenos movimentos e ruídos a dezenas de metros de profundidade e de limpá-los da poluição exterior para saber se são mesmo de uma escavação subterrânea.

Submetido a provas desde o ano passado, o sistema receberá um forte impulso graças ao financiamento americano, que vê nele uma solução prática para sua fronteira com o México.

"Se os americanos tivessem a menor dúvida sobre a efetividade desta patente, o Congresso não teria aprovado nem um centavo", escreveu o comentarista militar Alex Fishman.

Até seu completo funcionamento, o novo sistema exigirá uma contribuição similar da parte de Israel e o custo total previsto é de US$ 250 milhões.

O problema dos túneis na fronteira com Gaza foi um dos catalisadores da ofensiva terrestre de Israel em 2014 e uma das razões pelas quais a disputa, que deixou mais de 2.100 palestinos e 73 israelenses mortos, se prolongou por muito mais do que o esperado.

Há poucos dias, após a morte de sete trabalhadores em um túnel de localização não informada, dirigentes do movimento islamita palestino Hamas reconheceram que seus homens retomaram as escavações e que os túneis fazem parte de uma estratégia ofensiva futura para lutar contra Israel.

Em resposta, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, advertiu no domingo que Israel atacará com "muita força" se o grupo islamita realizar agressões através desses túneis.

"Estamos trabalhando de forma pontual e friamente contra todas as ameaças, incluída a do Hamas, e adotando medidas tanto defensivas como ofensivas", disse Netanyahu.

No entanto, o ministro da Defesa, Moshe Yaalon, afirmou não estar ciente de que o movimento islamita tenha voltado a construir túneis com direção a Israel com a intenção de perpetrar um futuro ataque.

Em uma entrevista à rádio pública de seu país, ele disse que por enquanto "não foi localizado nenhum túnel sob o imóvel" de nenhum israelense, uma possibilidade denunciada nos últimos dias pelos moradores da região fronteiriça, que disseram ter ouvido ruídos de escavações e sentido tremores como antes da última guerra de 2014. EFE

elb/cd

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos