Felipe VI propõe a líder socialista missão de formar novo governo da Espanha

Madri, 2 fev (EFE).- O rei da Espanha, Felipe VI, propôs nesta terça-feira o líder socialista Pedro Sánchez como candidato a presidente do governo, abrindo um período de negociação para que ele tente conseguir uma maioria de cadeiras no Congresso dos Deputados suficiente para formar o novo governo do país.

O presidente do Congresso, Patxi López, foi quem informou sobre a decisão do monarca, tomada após duas rodadas de conversas com líderes políticos. Nas eleições gerais de 20 de dezembro, nenhum partido conseguiu maioria para governar sozinho ou formou uma coalizão que tivesse cadeiras suficientes para garantir essa maioria.

À imprensa, López afirmou termina em "três semanas ou um mês" o prazo dado a Sánchez para que negocie uma coalizão para chegar ao debate de posse no Congresso com, pelo menos, o número mínimo de assentos que permite a formação do governo, que é de 176.

As eleições de dezembro tiveram como vencedor o governista PP, de centro-direita, com 123 cadeiras, seguido pelo PSOE, de Sánchez, com 90. Os novos partidos Podemos (69) e Ciudadanos (40) foram terceiro e quarto colocados em um Congresso com 350 deputados.

López explicou que o rei se reuniu com o Sanchez para lhe dizer que é candidato à posse depois que, na primeira rodada de contatos, que acabou em 22 de janeiro, o presidente interino e líder do PP, Mariano Rajoy, recusou a oferta do monarca por não reunir apoios suficientes - embora tenha dito posteriormente que isso não significa que tenha desistido de tentar permanecer no poder, pois negocia para conseguir uma coalizão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos