Martelly apresenta primeiras propostas para que Haiti supere a crise

Porto Príncipe, 5 fev (EFE).- O presidente do Haiti, Michel Martelly, apresentou nesta sexta-feira à nação suas primeiras propostas para superar a crise eleitoral vivida pelo país, a apenas dois dias do término de seu mandato sem que tenha sido eleito seu sucessor.

Através de um comunicado, o líder haitiano informou que está sendo discutido, em primeiro lugar, um governo de transição a partir de domingo, quando entrega o poder, além da revisão da Constituição.

Em segundo lugar, propõe manter os ministros do atual governo, completar o Conselho Eleitoral Provisório (CEP), praticamente desmantelado pela renúncia de sete de seus nove membros, e continuar com o adiado processo eleitoral para escolher um novo presidente.

Por fim, sugere também que a presidência seja assumida pelo titular da Assembleia Nacional, Jocelerme Privert, ou pelo da Suprema Corte de Justiça, Jules Cantave.

A dois dias do fim do mandato de Martelly, continuam as discussões para evitar que no país ocorra um vazio de poder.

No entanto, a oposição segue nas ruas para pedir a saída do presidente em 7 de fevereiro, quando conclui sua gestão, e que seja eleito um governo de transição.

O Haiti iria realizar em 24 de janeiro o segundo turno das eleições presidenciais, que foram adiados dois dias antes pelo Conselho Eleitoral Provisório (CEP) perante a situação de violência no país e que deixou pelo menos três mortos.

Às eleições estavam convocados o candidato governista, Jovenel Moise, e o opositor, Jude Celestin, que se negou a participar do segundo turno eleitoral, previsto inicialmente para 27 de dezembro, pelo suposta fraude cometida no primeiro turno realizado em 25 de outubro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos