PMA começa a distribuir comida aos deslocados de Aleppo

Damasco, 9 fev (EFE).- O Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas começou a distribuir de forma urgente comida aos deslocados pela recente escalada de violência no norte da província setentrional síria de Aleppo.

Em comunicado, o PMA precisou que os alimentos são transportados em comboios que cruzam a fronteira desde a Turquia até a população síria de Azaz, no norte de Aleppo e próxima à passagem entre ambos países.

A agência da ONU antecipou que nos próximos dias espera distribuir ajuda entre 21 mil pessoas.

Essa assistência inclui arroz, lentilha, bulgur (grão de trigo partido), pasta, feijão, grãos-de-bico, óleo e farinha, que será repartida em pacotes suficientes para alimentar uma família por um mês.

O PMA também está enviando comida pronta para consumo como alimentos enlatados para aqueles que não tenham acesso a instalações para cozinhar.

O diretor do PMA na Síria, Jakob Kern, apontou no texto que a "situação é bastante volátil no norte de Aleppo com famílias que se movimentam em busca de segurança".

"Estamos extremamente preocupados porque o acesso e as vias de provisão desde o norte ao leste da cidade de Aleppo e áreas dos arredores estão agora interrompidas, mas fazemos todos os esforços possíveis para levar comida a todos os necessitados", afirmou Kern.

O comunicado indicou que milhares de deslocados se concentram em Azaz em busca de um refúgio perto da passagem fronteiriça de Bab al Salama, e espera-se que outros milhares cheguem no futuro a esse ponto se os combates continuarem.

O PMA lembrou que até agora teve informação de 30 mil deslocados, e que muitos deles se dirigiram à fronteira com o território turco, e às cidades de Azaz e Afrin, esta última controlada pelas forças curdo-sírias e localizada também no norte de Aleppo.

A agência da ONU ressaltou que antes do aumento das hostilidades na metade setentrional da província introduzia frequentemente comida através das passagens fronteiriças de Bab al Salama e de Bab al Haua -limítrofe entre a província síria de Idlib e Turquia.

Kern fez uma chamada a todas as partes em conflito para que facilitem o acesso sem impedimentos aos deslocados para proporcionar ajuda de forma imediata "a famílias que já sofreram demais".

A Síria é há quase cinco anos palco de um conflito bélico que deixou mais de 260 mil mortos, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos