Sanders: "Enviamos uma mensagem que vai ecoar de Wall Street a Washington"

Concord (EUA), 9 fev (EFE).- O senador Bernie Sanders, vencedor das primárias democratas realizadas nesta terça-feira em New Hampshire (EUA), afirmou que com sua vitória se envia "uma mensagem que ecoará de Wall Street a Washington", falando que o povo quer "uma mudança real".

"Juntos enviamos uma mensagem que ecoará de Wall Street a Washington, do Maine à Califórnia, que o governo de nosso grande país pertence a todo o povo e não só a um punhado de ricos contribuintes para as campanhas", disse Sanders em seu discurso após sua vitória sobre a ex-secretária de Estado Hillary Clinton.

Sanders disse que a alta participação nas primárias de New Hampshire demonstra que sua campanha "colhe o entusiasmo que o partido democrata vai precisar para ter sucesso em novembro", nas eleições gerais.

O senador independente falou quando já tinha sido apurado quase 50% dos votos em New Hampshire, o segundo estado a votar nas eleições primárias dos EUA, e ele tinha 59,4% dos votos contra 38,8% de Hillary.

"O que começou na semana passada em Iowa, o que confirmou New Hampshire hoje, não é nada menos que o começo de uma revolução política, que unirá milhões de pessoas", afirmou Sanders no final de um longo discurso na cidade de Concord.

"Unirá negros e brancos, latinos, americanos de origem asiática, nativos americanos, heterossexuais e gays, homens e mulheres, pessoas que nasceram nos Estados Unidos e pessoas que migraram para este país", acrescentou.

Sanders disse que o povo de New Hampshire "enviou uma mensagem profunda ao 'establishment' político, ao 'establishment' econômico e ao midiático, que o povo quer uma mudança real".

O senador, que centrou sua campanha na indignação com a crescente desigualdade econômica nos EUA e em uma aberta denúncia à corrupção de Wall Street, tentou focar também em outros temas que serão importantes nas próximas primárias, as de Nevada e Carolina do Sul, onde Hillary começa com vantagem.

"Devemos regular nosso sistema migratório partido e criar um caminho para a cidadania para as 11 milhões de pessoas que vivem nas sombras", afirmou o candidato democrata.

Ele também pediu para "acabar com a desgraça que este país tenha mais gente presa do que nenhum outro no mundo, e que a maioria sejam afro-americanos e latinos, de uma forma desproporcional".

Em política externa, ressaltou que os EUA "não podem ser a polícia do mundo" e lembrou que em 2003 votou no Senado contra a Guerra do Iraque, ao contrário de Hillary.

"Como presidente, defenderei esta nação, mas o farei de forma responsável", prometeu Sanders.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos