Oposição síria rejeita falar de cessar-fogo antes de transição política

Beirute, 12 fev (EFE).- O vice-presidente da opositora Comissão Suprema para as Negociações (CSN), George Sabra, afirmou nesta sexta-feira que a oposição síria rejeita falar de um cessar-fogo até que haja primeiro um diálogo e uma transição política no país árabe.

"O cessar-fogo deve estar vinculado ao processo de negociações e a uma transição política, não pode vir antes", disse Sabra à Agência Efe por telefone.

Desta forma, o vice-presidente da principal aliança opositora síria, que agrupa formações políticas e militares e que participou das recentes conversas de Genebra, reagiu ao acordo alcançado ontem à noite pelos EUA e Rússia para uma cessação das hostilidades no Estado árabe no prazo de uma semana.

Segundo Sabra, primeiro deve entrar, além disso, a ajuda humanitária nas áreas assediadas e para todos aqueles que a necessitem.

O dirigente opositor apontou que sua organização não mantém contatos com Washington e "muito menos com a Rússia, que está ocupando o território sírio e bombardeia os civis".

Com relação ao retorno da delegação opositora à convenção de Genebra, cuja reatamento está prevista para 25 de fevereiro, Sabra indicou que a CSN não retornará a menos que sejam cumpridas as resoluções do Conselho de Segurança da ONU referidas à situação humanitária.

Os opositores exigem a implementação dos artigos 12 e 13 da decisão 2.254 do Conselho de Segurança.

A cláusula 12 pede às partes que permitam o acesso a todas as agências humanitárias para ajudar a população, sobretudo àquelas pessoas que estão em áreas assediadas na Síria, enquanto o 13 exige o fim dos ataques indiscriminados a civis.

A convenção de Genebra foi suspensa em 3 de fevereiro, coincidindo com o início de uma ofensiva do regime de Bashar al Assad no norte da província de Aleppo, que causou dezenas de milhares de deslocados, que se dirigiram à fronteira com a Turquia.

A regulação russa-americana foi alcançada ontem à noite após mais de seis horas de negociações em Munique do Grupo Internacional de Apoio à Síria, que abrange esses dois países, além disso da Turquia, Irã, Arábia Saudita, Catar, Egito, França, Alemanha e Reino Unido. EFE

ssa/ff

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos