Raúl Castro e patriarca Kirill se reúnem antes de encontro com o papa

(Atualiza com novos dados).

Havana, 12 fev (EFE).- O presidente de Cuba, Raúl Castro, recebeu nesta sexta-feira o patriarca russo, Kirill, no Palácio da Revolução de Havana, horas antes do histórico encontro com o papa Francisco, o primeiro entre os máximos líderes das igrejas católica e ortodoxa em quase mil anos de cisão.

Na reunião, que faz parte da agenda da visita oficial que Kirill cursa à ilha, a primeira parada de uma viagem por vários países da América Latina, incluindo o Brasil, Castro e o patriarca constataram o "excelente estado" das ligações entre a ilha e a Igreja Ortodoxa Russa, baseados na "história de amizade" que une Cuba e Rússia, segundo informou a televisão oficial cubana.

Durante a conversa, ambos os líderes "ressaltaram o papel do patriarcado como elemento favorecedor" na aproximação entre os dois países.

Também participaram do encontro o primeiro vice-presidente cubano Miguel Díaz-Canel, o chanceler Bruno Rodríguez e o presidente do parlamento unicameral de Cuba, Esteban Lazo.

Pela parte russa estiveram presentes o metropolita Hilarion, chefe do departamento de Relações Exteriores da Igreja Ortodoxa; o chefe da Igreja Ortodoxa Ucraniana do Patriarcado de Moscou, metropolita Antony, e o embaixador russo em Cuba, Mikhail Kamynin, entre outros.

Ao término do encontro, o patriarca Kirill e Raúl Castro trocaram presentes de cortesia.

Castro presenteou o líder ortodoxo com a obra "Amanhecer" do artista Alexis Leyva "Kcho", com detalhes em ouro e prata, inspirada no presente do patriarca à delegação cubana que viajou para Moscou, em maio de 2015, pelas celebrações pelo 70º aniversário da vitória sobre o nazismo.

O patriarca russo deu ao presidente cubano livros e um ícone decorado com joias que representa a Nossa Senhora de Kazan, venerada como a protetora do povo russo.

Antes da reunião com Raúl Castro, Kirill prestou uma homenagem ao herói independentista cubano José Martí deixando flores no monumento situado na emblemática Praça da Revolução.

O líder ortodoxo também percorreu as salas do memorial dedicado ao herói cubano, situado na Praça, e deixou uma mensagem no livro de visitantes.

A previsão é que a inédita reunião entre o patriarca Kirill e o papa Francisco dure cerca de duas horas e aconteça durante uma breve escala do pontífice em sua primeira viagem como papa ao México.

Em sua quarta estadia em Cuba, a primeira como líder máximo da igreja ortodoxa, Kirill visitará no sábado uma escola para crianças com necessidades especiais, viajará ao Mausoléu do Soldado Internacionalista Soviético, nos arredores da capital, e assistirá a um concerto no teatro Martí de Havana Velha.

O patriarca russo também receberá a "Ordem José Martí", a máxima distinção concedida pelo governo da ilha.

Embora não esteja no itinerário oficial do líder religioso, o patriarca russo também deve se reunir com o ex-presidente cubano Fidel Castro, de 89 anos.

A visita oficial de Kirill a Cuba se estenderá até o domingo, dia em que celebrará uma liturgia na Catedral de Nossa Senhora de Kazan, único templo ortodoxo russo em território cubano, onde há cerca de 15 mil fiéis.

Kirill viajou a Cuba em 2008 para a cerimônia de consagração dessa catedral, mas como metropolita, o segundo na hierarquia da Igreja Ortodoxa Russa. A visita do patriarca russo a Cuba é a primeira parada de sua segunda viagem pela América Latina, onde também passará por Paraguai e Brasil.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos