Obama exige que Putin pare bombardeios contra oposição moderada na Síria

Washington, 14 fev (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, exigiu que o líder russo, Vladimir Putin, interrompa os bombardeios contra as forças da oposição moderada na Síria, informou a Casa Branca neste domingo.

Durante uma conversa por telefone, Obama "insistiu na importância de a Rússia desempenhar um papel construtivo mediante a cessação da operação aérea contra as forças da oposição moderada na Síria", indicou em comunicado o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest.

De acordo com a nota divulgada pela Casa Branca, os dois líderes conversaram sobre "decisões" e "acordos" alcançados na Conferência de Segurança de Munique (MSC) para conseguir em uma semana a "cessação das hostilidades" na Síria.

O pacto russo-americano para a Síria foi confirmado após mais de seis horas de negociações em Munique do Grupo Internacional de Apoio à Síria, que conta com a participação desses dois países, Turquia, Irã, Arábia Saudita, Catar, Egito, França, Alemanha e Reino Unido.

Ao longo da conversa, Obama e Putin enfatizaram a importância de iniciar a cessação das hostilidades na Síria e de permitir a chegada de ajuda humanitária às zonas sitiadas no país árabe, segundo a Casa Branca.

"Os líderes concordaram que Estados Unidos e Rússia manterão comunicações sobre o importante trabalho do grupo Internacional de Apoio à Síria", acrescentou a Casa Branca.

Apesar dos acordos, que ainda têm precisam ser implementados no terreno, Rússia e Estados Unidos mantêm diferenças substanciais sobre o conflito sírio.

Os EUA denunciam que, com o apoio aéreo russo, o exército do presidente Bashar al Assad bombardeia a oposição moderada, enquanto Moscou garante que seus ataques são voltados contra "terroristas".

O futuro de Assad, que conta com o apoio de Rússia e Irã, é o outro grande ponto de atrito entre a Casa Branca e o Kremlin, embora ambas as partes tenham concordado em Munique que o povo sírio, por meio de negociações, deve decidir como o país se articulará após a guerra.

Em sua conversa com Putin, Obama também exigiu que o Kremlin cumpra os Acordos de Minsk, assinados há um ano na capital de Belarus com mediação de Rússia, França e Alemanha, nos quais foi acordado um cessar-fogo, violado continuamente pelas partes.

O líder americano pediu ao colega russo que garanta que a Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) possa acessar todas as áreas do leste da Ucrânia, incluindo a fronteira internacional, com o objetivo de preparar as eleições locais no leste da Ucrânia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos