Bombardeio a centro médico apoiado pela MSF na Síria deixa 9 mortos

Em Beirute

  • Reuters

    Pessoas se aglomeram diante de prédio destruído que seria um hospital apoiado pela ONG Médicos Sem Fronteiras, em Marat al Numan, Idlib, na Síria

    Pessoas se aglomeram diante de prédio destruído que seria um hospital apoiado pela ONG Médicos Sem Fronteiras, em Marat al Numan, Idlib, na Síria

Pelo menos nove pessoas morreram nesta segunda-feira e dezenas ficaram feridas e desaparecidas por um bombardeio contra um centro de saúde apoiado por Médicos Sem Fronteiras (MSF) na província setentrional síria de Idlib, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

A ONG afirmou que aviões russos atacaram o hospital situado nos arredores de Maarat al Nuaman, em Idlib.

A MSF confirmou em um tuíte que oito trabalhadores do centro, que foi atingido por quatro projéteis, estão desaparecidos.

Não é a primeira vez que uma instalação médica que recebe apoio da MSF é atacada na Síria.

Em 5 de fevereiro, três pessoas morreram e outras seis, entre elas uma enfermeira, ficaram feridas por um bombardeio contra o hospital de Tafas, no sul da Síria e ajudado pela ONG.

A Síria sofre há quase cinco anos um conflito que já tirou a vida de de mais de 260 mil pessoas, segundo a apuração do Observatório.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos