EUA pedem que Rússia e Turquia evitem escalada de tensões na Síria

Washington, 15 fev (EFE).- O Departamento de Estado dos Estados Unidos pediu nesta segunda-feira à Rússia e à Turquia para evitar uma escalada de tensões na Síria e dialogar sobre o conflito no país árabe, informou nesta segunda-feira à Agência Efe um funcionário da diplomacia americana que pediu anonimato.

"É importante que os russos e os turcos falem diretamente e tomem medidas para prevenir uma escalada (de tensões)", declarou em um breve comunicado este funcionário.

Este convite a diminuir as tensões chega depois que, como parte do Grupo Internacional de Apoio à Síria, EUA, Rússia e Turquia, entre outros países, decidiram conseguir em uma semana a "cessação das hostilidades" na Síria durante a Conferência de Segurança de Munique (MSC), realizada entre os dias 12 e 14 de fevereiro.

Neste fim de semana, o presidente dos EUA, Barack Obama, pediu a seu colega russo, Vladimir Putin, para que cesse os bombardeios contra as forças da oposição moderada na Síria, que para a Rússia e o regime do presidente sírio, Bashar al Assad, são "terroristas".

Os ataques à oposição moderada e o futuro de Assad, respaldado pela Rússia e pelo Irã, são os dois principais pontos de atrito entre a Casa Branca e o Kremlin.

A relação entre EUA e Turquia também viveu tensões nas últimas semanas pelas diferenças que ambos países têm sobre o papel das milícias curdas na Síria.

O governo turco criticou duramente os Estados Unidos por manterem contatos com o PYD, um grupo emparentado com o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), o qual Ancara tacha de terrorista, mas que os americanos consideram um aliado importante na luta contra os jihadistas do Estado Islâmico (EI).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos