Morre aos 93 anos o ex-secretário geral da ONU Boutros-Ghali

Nações Unidas, 16 fev (EFE).- O ex-secretário geral da ONU Boutros Boutros-Ghali morreu aos 93 anos, anunciou nesta terça-feira o presidente rotativo do Conselho de Segurança, o venezuelano Rafael Ramírez.

O diplomata egípcio, nascido em 1922, havia sido internado na semana passada em um hospital do Cairo.

Sua morte foi divulgada por Ramírez no início de uma reunião do principal órgão de decisão das Nações Unidas, que dedicou um minuto de silêncio à memória do ex-secretário-geral da organização.

No entanto, na ONU não foram dados detalhes sobre seu falecimento.

Boutros-Ghali, que substituiu o peruano Javier Pérez de Cuéllar, foi chefe da ONU em 1992 e 1996 e teve como sucessor ao ganês Kofi Annan.

Seu mandato aconteceu em um momento especialmente delicado com o término da Guerra Fria e foi marcado por difíceis conflitos como os de Ruanda, Somália e Bósnia.

O diplomata egípcio, o primeiro africano a ocupar o cargo, recebeu duras críticas perante a incapacidade da ONU frente a essas guerras e outras crises.

Embora tenha sido proposto para continuar à frente da ONU até 2001, os Estados Unidos -um dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança- vetaram sua candidatura.

Antes de chegar à ONU, Boutros-Ghali tinha ocupado entre outros o cargo de vice-primeiro-ministro para Relações Exteriores de seu país.

Nascido no seio de uma família cristã copta, Boutros-Ghali formou-se em Direito pela Universidade do Cairo e depois se especializou, na Universidade de Paris, em Direito Público e Econômico.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos