Turquia acusa Rússia de matar 30 civis em "crimes de guerra" na Síria

Ancara, 16 fev (EFE).- O governo da Turquia acusou a Rússia de cometer "crimes de guerra" com seus bombardeios contra hospitais na Síria que, segundo assegura, causaram a morte de mais de 30 civis e ferimentos em outros 100, informou nesta terça-feira a imprensa local.

O Ministério das Relações Exteriores turco qualificou de "um crime de guerra segundo as leis internacionais" os ataques sobre dois colégios e um hospital na cidade síria de Aasaz e outro centro médico em Idlib.

Em comunicado emitido ontem à noite, a pasta de Exteriores afirma que morreram mais de 30 pessoas e outras 100 ficaram feridas, incluindo crianças e mulheres, nos bombardeios sobre Asaz e Idlib, perto da fronteira turca.

"A Federação Russa está aprofundando a guerra civil na Síria e acelerando a tensão na região com esses crimes que está cometendo. Se a Federação Russa não deter imediatamente essas ações e ataques que afastam mais a Síria da paz e da estabilidade, será inevitável enfrentar consequências maiores e graves", advertiu o ministério turco em sua nota.

A emissora "CNNTÜRK" informou hoje que 35 dos feridos, dez deles crianças, foram transferidos a centros médicos na Turquia e que dois deles morreram.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos