Bashar al Assad decreta indulto para desertores do exército sírio

Damasco, 17 fev (EFE).- O presidente da Síria, Bashar al Assad, decretou nesta quarta-feira um indulto para os desertores do exército nacional que estejam tanto dentro como fora do país, informou a agência de notícias oficial "Sana".

A fonte afirmou que Assad emitiu um decreto que perdoa a condenação aos desertores militares e dá um prazo de 30 dias aos que se encontrem dentro do território sírio para entregar-se à Justiça.

Além disso, concede um ultimato de 60 dias àqueles que estejam foragidos fora do país e queiram legalizar sua situação.

Desde a explosão do conflito na Síria, em março de 2011, o chefe de Estado decretou várias anistias, embora sempre excluísse delas os que tivessem "as mãos manchadas de sangue".

O último indulto declarado por Assad foi em julho do ano passado para os autores de crimes referentes ao descumprimento da lei militar, entre eles a deserção, com a condição de que os infratores se entregassem às autoridades.

O decreto de hoje é anunciado após a visita ontem a Damasco do enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, que se reuniu com o ministro das Relações Exteriores sírio, Walid Muallem, em uma tentativa de impulsionar as negociações de paz entre o regime e a oposição.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos