ONU afirma que divisão entre as partes impede nova rodada de diálogo no Iêmen

Nações Unidas, 17 fev (EFE).- As "divisões profundas" entre as partes em conflito no Iêmen impedem atualmente a convocação de uma nova rodada de negociações de paz, segundo disse nesta quarta-feira o mediador da ONU, Ismail Ould Sheikh Ahmed.

"As partes seguem divididas sobre se uma nova rodada de conversas deve ser convocada, haja ou não uma nova cessação de hostilidades", explicou o diplomata perante o Conselho de Segurança.

Ould Sheikh Ahmed disse que atualmente não conta com "garantias suficientes" sobre um possível cessação da violência ou de que, caso venha a ser anunciada, seja respeitada.

A última tentativa das Nações Unidas nesse sentido resultou infrutífera em dezembro, pois os combates não se detiveram e as negociações realizadas na Suíça não alcançaram um cessar-fogo permanente.

Apesar de originalmente haver planos para que essas conversas fossem retomadas em meados de janeiro, as partes não voltaram a discutir após a ruptura dessa trégua.

O enviado da ONU insistiu hoje que o conflito no país árabe não poderá ser resolvido pela força sob nenhum conceito.

"Um novo compromisso para cessar hostilidades que leve a um cessar-fogo permanente é a expressão prática desta verdade. Insto o Conselho de Segurança a apoiar esta medida", declarou Ould Sheikh Ahmed.

O Iêmen vive em guerra desde que em março de 2015 uma coalizão árabe, liderada pela Arábia Saudita, iniciou uma grande campanha de bombardeios contra os rebeldes houthis, que seguem controlando boa parte do país após a ofensiva que lançaram meses antes e que forçou a fuga do presidente Abdo Rabbo Mansour Hadi.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos