Cidade na Tailândia se torna centro de turismo de anabolizantes

Noel Caballero

Em Pattaya (Tailândia)

  • EFE

    Facilidade e baixo preço desses produtos atraem a cada ano milhares de fisiculturistas até o enclave turístico de Pattaya

    Facilidade e baixo preço desses produtos atraem a cada ano milhares de fisiculturistas até o enclave turístico de Pattaya

A facilidade para adquirir remédios que melhoram o rendimento esportivo, como esteroides e anabolizantes, e o baixo preço desses produtos atraem a cada ano milhares de fisiculturistas até o enclave turístico de Pattaya, na Tailândia.

Com apenas poucos contatos é relativamente simples obter um completo coquetel de pastilhas, ampolas ou substâncias injetáveis em uma farmácia do centro de Pattaya.

"Embora segundo a lei seja necessária a prescrição para a compra destes produtos, as farmácias não atuam com rigor e inclusive às vezes se pode conseguir a receita pagando alguns dólares ao médico para que ele autorize a venda", assegurou um australiano que pediu para ser identificado apenas como Alex.

Alex, um dos vários musculosos que passeiam pelo calçadão de Pattaya, uma cidade situada a 150 quilômetros da capital Bancoc, comentou que ele mesmo consome este tipo de produtos para melhorar seu rendimento.

O australiano explicou que ele e outros que buscam acelerar o crescimento e volume dos músculos seguem um programa de dois meses no qual treinam com pesos e ingerem, a cada 48 ou 72 horas, uma combinação de remédios para potencializar o físico.

"Algumas farmácias têm até serviço de entrega quando não dispõem dos artigos na loja (e têm que pedi-los)", revelou Alex.

O preço destes remédios na Tailândia é "ridículo" comparado com a oferta no "mercado negro" da Austrália, onde o custo pode chegar a se multiplicar por dez, segundo Alex.

Atraídos por essa diferença de preço, espertos empreendedores se estabeleceram na cidade litorânea tailandesa para se abastecer de remédios a baixo custo.

"Eu mesmo enviei pacote com esteroides ou me arrisquei a viajar à Austrália com algumas pastilhas na mala. É uma maneira fácil de recuperar o investimento da viagem ou tirar um dinheiro extra", reconheceu o fisiculturista australiano.

As associações de medicina esportiva alertam contra o uso destes tipos de tratamentos porque pode causar graves problemas de saúde, como desenvolver tipos de câncer ou inclusive a morte por parada cardíaca.

Alopecia, infertilidade e problemas renais são outras afecções que podem ser derivadas do consumo deste tipo de substâncias.

Em agosto de 2011, o popular fisiculturista australiano Aziz Shavershian, que era especialmente ativo nas redes sociais, apareceu morto em uma sauna de Pattaya: tinha 22 anos de idade.

Após a autópsia, os médicos constataram que "Zyzz", como gostava que o chamassem, morreu de ataque cardíaco.

A polícia da Austrália tinha detido o irmão de "Zyzz", Said Shavershian, por posse ilegal de esteroides semanas antes da morte de Aziz.

"O problema são os jovens que chegam a Pattaya com vontade de abraçar o mundo e abusam dos produtos sem ter um conhecimento completo sobre o que estão tomando", advertiu Alex, acrescentando que ele está há cerca de uma década "usando" e "nunca" teve reações adversas.

"É preciso ficar de olho porque em algumas ocasiões os produtos são falsificações baratas ou fármacos de qualidade inferior de fabricação local", avisou o australiano.

A grande maioria dos fisiculturistas que visita Pattaya procede da Austrália, país com leis mais rigorosas sobre a compra e venda de remédios esportivos e que castiga com até cinco anos de prisão e uma multa de US$ 110 mil o contrabando de esteroides e anabolizantes, entre outras substâncias que melhoram o rendimento esportivo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos