Papa pede fim da pena de morte e que não haja execução durante Jubileu

Cidade do Vaticano, 21 fev (EFE).- O papa Francisco pediu neste domingo que durante o Jubileu Extraordinário da Misericórdia, que vai até 20 de novembro, não seja aplicada a pena de morte e apelou à comunidade internacional para que haja um acordo sobre o fim definitivo dessa punição.

"Mesmo o criminoso mantém o direito inviolável à vida, dom de Deus. Faço um apelo à consciência dos governantes, de modo que se possa alcançar um consenso internacional para a abolição da pena de morte. E proponho aqueles que de entre esses sejam católicos a cumprirem um gesto corajoso e exemplar: que nenhuma sentença seja executada neste Ano Santo da Misericórdia", ressaltou durante um discurso oferecido após a oração do Angelus neste domingo.

Perante os milhares de fiéis reunidos na Praça de São Pedro, ele sustentou que "o Jubileu Extraordinário da Misericórdia é uma ocasião propícia para promover no mundo formas sempre mais maduras de respeito pela vida e pela dignidade de cada pessoa".

O papa mencionou ainda a conferência internacional que acontecerá amanhã em Roma intitulada "Por um mundo sem pena de morte" e promovida pela Comunidade de Santo Egídio.

"Todos os cristãos e pessoas de boa vontade são chamados hoje a trabalhar não só para a abolição da pena de morte, mas também com a finalidade de melhorar as condições das prisões, respeitando a dignidade humana das pessoas privadas de liberdade", concluiu.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos