Tunísia estende por mais um mês o estado de emergência decretado em novembro

Túnis, 21 fev (EFE).- O presidente da Tunísia, Beji Caid Essebsi, anunciou neste domingo a extensão por mais um mês do estado de emergência decretado no país após o atentado que em 12 de novembro custou a vida de 12 guardas presidenciais no centro da capital.

Segundo a imprensa local, a decisão foi adotada pelo presidente após analisar com os responsáveis de segurança a situação do país nos últimos dias.

Na sexta-feira aviões de combate americanos bombardearam dois edifícios na cidade líbia de Sabratah, a apenas 120 quilômetros da fronteira com a Tunísia e mataram 43 pessoas, 37 delas de nacionalidade tunisiana.

De acordo com as autoridades militares norte-americanas, o alvo do ataque era um conhecido líder jihadista tunisiano que estaria vinculado com a organização radical Estado Islâmico e que é acusado de instigar dois dos três atentados que a Tunísia sofreu em 2015.

Até agora não foi revelado se o citado jihadista morreu ou sobreviveu ao ataque.

A decisão de prolongar o estado de emergência é adotada um mês depois que uma série de manifestações pacíficas em reivindicação por emprego sacudiram o sul do país e desencadearam uma onda de violência que chegou até a capital.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos