Comissão de ONU responsabiliza potências estrangeiras por degradação na Síria

Nações Unidas, 22 fev (EFE).- A comissão da ONU que documenta os crimes na Síria garantiu nesta segunda-feira que a crescente participação de atores exteriores na guerra está dificultando ainda mais a situação e aumenta o risco de uma "internacionalização" do conflito.

"O conflito virou uma guerra indireta com várias partes dirigida desde o exterior através de uma intrincada rede de alianças", disseram os especialistas das Nações Unidas em seu último relatório, apresentado hoje.

O documento destaca que, "paradoxalmente, os atores internacionais e regionais que estão pressionando ostensivamente para uma solução pacífica à guerra continuam ao mesmo tempo alimentando a escalada militar".

Entre outras intervenções estrangeiras, os especialistas das Nações Unidas destacam as operações aéreas da coalizão liderada pelos Estados Unidos contra os jihadistas do Estado Islâmico (EI) e o apoio que desde o ar a Rússia está dando ao regime sírio.

O presidente da comissão, Paulo Pinheiro, explicou em entrevista coletiva que o número cada vez maior de atores que intervêm na guerra "levou a uma escalada das hostilidades", que por sua vez resultou "em mais mortes de civis".

Essa "multiplicação" de atores no conflito, particularmente desde o ar, derivou em uma situação "mais intensa e mais difícil", acrescentou Vitit Muntarbhorn, membro do grupo.

Muntarbhorn explicou que dado que sua equipe não tem acesso físico à Síria, não está em posição de identificar os responsáveis de "alguns ataques aéreos nos quais foram documentadas violações" das normas internacionais, embora esteja investigando.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos