Itália convoca embaixador dos EUA após revelações de espionagem a Berlusconi

Roma, 23 fev (EFE).- O governo italiano informou nesta terça-feira que convocou o embaixador dos Estados Unidos, John Phillips, para que dê explicações sobre a suposta espionagem da Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA) ao ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi em 2011.

A reunião servirá para "esclarecer as indiscrições publicadas por alguns meios de comunicação segundo as quais o ex-primeiro-ministro da Itália Silvio Berlusconi e alguns de seus mais estreitos colaboradores teriam sofrido escutas telefônicas em 2011", precisou o governo italiano em comunicado.

A portal Wikileaks, a organização criada por Julian Assange, revelou ontem que a NSA realizou escutas secretas a líderes mundiais como Berlusconi, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, a chanceler alemã, Angela Merkel, e o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

Segundo o Wikileaks, os EUA teriam espionado uma conversa mantida entre Netanyahu e Berlusconi, na qual o líder israelense pedia ao italiano sua ajuda para mediar perante Washington.

O país americano também teria escutado outra conversa entre Nicolas Sarkozy e Berlusconi, na qual o ex-mandatário francês alertava ao italiano sobre os perigos do sistema bancário de seu país.

A relevância do Wikileaks aumentou entre julho e outubro de 2010 ao publicar documentos secretos da guerra do Afeganistão (2001) e a segunda Guerra do Iraque (2003), a partir de filtragens do soldado americano Bradley Manning, hoje Chelsea Manning.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos