Sobe para 36 o número de mortos após passagem do ciclone Winston em Fiji

Bangcoc, 24 fev (EFE).- Pelo menos 36 pessoas morreram em Fiji e mais de 19 mil permanecem nos abrigos habilitados após a passagem do ciclone Winston, enquanto o Executivo trabalha para recuperar a normalidade, informou nesta quarta-feira a imprensa local.

O ministro para a Gestão Nacional de Desastres, Inia Seruiratu, confirmou o aumento do número de vítimas durante uma entrevista coletiva, segundo o jornal "The Fiji Times".

Seruiratu disse que é esperado um aumento nos números oficiais, já que as autoridades ainda não conseguirem acessar as áreas mais atingidas pelo ciclone, que arrasou o arquipélago situado no Pacífico Sul no último fim de semana com ventos de 230 km/h e rajadas de 325 km/h, além de muita chuva.

O ciclone também deixou 89 feridos e um desaparecido.

"Apesar de o pior da tempestade já ter passado, Winston deixou um terrível rastro de destruição", disse o primeiro-ministro, Frank Bainimarama, segundo um comunicado oficial.

"A necessidade é grande e urgente (...), o processo de reconstrução levará tempo. Talvez muito tempo. Praticamente nenhum lugar do país ficou livre da destruição (do ciclone)", acrescentou o governante.

Fiji tem uma população de aproximadamente 810 mil habitantes, dos quais 87% vivem nas ilhas de Viti Levu (oeste) e Vanua Levu (norte).

O Centro de Operações de Emergência do país informou em comunicado que há 19.290 pessoas nos abrigos habilitados pelo governo.

Fotografias aéreas tomadas de aviões militares da Nova Zelândia, que oferecem apoio ao governo de Fiji, mostram populações inteiras arrasadas pelo ciclone, o primeiro de categoria 5 - a máxima - a atingir Fiji.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos