Gaza registra em dez dias 7 tentativas de suicídio, três deles consumados

Gaza, 24 fev (EFE).- A Faixa de Gaza foi palco nos últimos dez dias de três suicídios consumados e quatro frustrados, um número que colocou as autoridades e organizações defensoras dos direitos humanos em alerta.

Segundo Samir Zaquot, do Centro de Direitos Humanos Al Mizan, desde o começo do ano houve no enclave palestino, no qual vivem 1,9 milhão de pessoas, 30 tentativas de suicídio: um protagonizado por um homem que se imolou na semana passada e outros dois que apareceram enforcados.

Em todo o ano de 2015 foram registradas em Gaza 250 tentativas de suicídio, dos quais cinco conseguiram se matar.

"O Ministério da Saúde (do movimento islamita Hamas, que governa o território) rejeita dar os números exatos ou estatísticas de suicídios", por isso que as ONGs só dispõem de informação que elas mesmas recopilam, explica Zaquot.

Perguntado pela Agência Efe, esse Ministério também nãp quis dar dados ao respeito.

Este trabalhador humanitário atribuiu o aumento de tentativas de suicídio em Gaza à "deterioração econômico, pobreza, desemprego e frustração e desespero devido aos oito anos de bloqueio israelense e à divisão política interna palestina entre Hamas e Fatah (que governa na Cisjordânia)".

Médicos e especialistas disseram que os números registrados nas últimas semanas são muito chamativos, sobretudo levando em conta que trata-se de uma população conservadora islâmica, que considera o suicídio 'haram' (proibido, em árabe).

Na semana passada, um homem se banhou com gasolina na praça principal da cidade de Bani Suhaila, na região sulina de Khan Yunes, e depois ateou fogo nele mesmo, o que lhe causou queimaduras que provocaram sua morte no domingo.

Dias antes, o porta-voz de Saúde, Ashraf Al Qedra, informou que dois homens tinham aparecido enforcados em uma cidade do centro da Faixa, que não precisou.

Nas mesmas datas, dois palestinos fracassaram ao tentar pôr fim em suas vidas bebendo produtos químicos, também em Khan Yunes, e um terceiro se encontra em condição crítica em um hospital de Gaza capital após pular desde o alto de um edifício.

Além disso, um funcionário da Autoridade Nacional Palestina (ANP), escalou até o alto de uma torre de telecomunicações no bairro de Remal de Gaza capital e ameaçou se atirar em protesto à falta de pagamento de seu salário, algo que finalmente não se consolidou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos