Eleição de novo presidente de Mianmar é antecipada para 10 de março

Bangcoc, 1 mar (EFE).- O parlamento de Mianmar antecipará de 17 para 10 de março a eleição do novo presidente do país, em uma votação na qual será mantido o veto à líder do movimento democrático, Aung San Suu Kyi, informou nesta terça-feira a imprensa local.

O novo chefe de Estado será eleito entre três candidatos, dois deles propostos por cada uma das câmaras do parlamento e um terceiro pelo exército, segundo prevê a Constituição aprovada pela última junta militar.

Os dois candidatos perdedores serão nomeados vice-presidentes do novo governo, que se constituirá após a escolha do novo presidente e que deverá substituir o atual executivo liderado pelo atual chefe de Estado, Thein Sein, antes de 1º de abril.

A Liga Nacional para a Democracia (NLD, sigla em inglês) de Suu Kyi tem maioria parlamentar suficiente para determinar o futuro chefe de Estado após sua vitória arrasadora nas eleições de novembro, mas a vencedora do prêmio Nobel da Paz não pode desempenhar o cargo.

A Constituição de Mianmar veta para o cargo candidatos com familiares estrangeiros, o que é o caso de Suu Kyi, viúva de um britânico e cujos dois filhos têm passaporte do Reino Unido.

O presidente do parlamento anunciou o adiantamento da votação após várias semanas de negociações entre a NLD e os militares.

"Nos demos tempo com a esperança de negociar com os militares a suspensão da seção (da Constituição) 59(f)", disse um dirigente da NLD ao jornal "Mianmar Times".

"Mas agora já aceitamos que isso não vai ocorrer, por isso que temos que deixar este plano. Voltaremos ao plano anterior que passa por nomear um presidente que atue como delegado em lugar de Suu Kyi", acrescentou o político.

Segundo o mesmo jornal, Suu Kyi assumiria a pasta de Relações Exteriores no próximo governo, o que lhe permitiria participar do Conselho Nacional de Defesa e Segurança.

Mianmar, a antiga Birmânia, foi governada por generais de 1962 a 2011, quando a última junta militar se dissolveu após transferir o poder para um governo civil que começou um processo de reformas políticas, econômicas e sociais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos