Juiz dos EUA rejeita pedido para proibir Ted Cruz de concorrer à presidência

Washington, 1 mar (EFE).- Um juiz de Illinois recusou nesta terça-feira um pedido de um cidadão que queria que se proibisse o senador republicano Ted Cruz de concorrer no processo de eleições primárias para ser o próximo presidente dos Estados Unidos por ter nascido no Canadá, apesar de ter cidadania americana.

Na ordem judicial, à qual a Agência Efe teve acesso, a juiz Maureen Ward Kirby rejeitou o pedido de Lawrence Joyce, um morador da cidade de Poplar Grove que argumentava que Cruz não podia concorrer à Casa Branca porque, segundo sua interpretação da lei, é preciso nascer nos EUA para poder ser cidadão deste país.

Cruz, de mãe americana e pai cubano, nasceu com a dupla nacionalidade dos EUA e do Canadá, mas decidiu renunciar à canadense quando ganhou sua cadeira no Senado em 2012.

Além das implicações judiciais, a ordem do juiz afeta um dos ataques mais usados durante a campanha pelo magnata Donald Trump, favorito à indicação republicana para as eleições presidenciais de novembro e que questionou que Cruz possa ser pré-candidato à presidência sem ter nascido nos EUA.

Os EUA realizam hoje as votações da crucial Super Terça, o evento eleitoral mais importante do processo de primárias.

Uma dúzia de estados de todo o país promoverão primárias e caucus (assembleias populares) durante a jornada, na qual os pré-candidatos democratas concorrerão por 865 delegados dos 2.383 necessários para conseguir a indicação presidencial do partido.

Pelo lado republicano, estão em jogo 595 delegados, dos 1.237 necessários para obter a candidatura presidencial.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos