Congresso espanhol rejeita o socialista Pedro Sánchez como chefe de governo

Madri, 2 mar (EFE).- O Congresso da Espanha rejeitou nesta quarta-feira a eleição do líder do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), Pedro Sánchez, como presidente do governo, com 130 votos a favor, 219 contra e uma abstenção, longe da maioria absoluta, cifrada em 176 cadeiras.

Uma segunda votação sobre a candidatura de Sánchez vai acontecer na sexta-feira, na qual lhe bastaria ter mais 'sims' do que 'nãos', embora pareça difícil que possa conseguir isso depois do que foi manifestado pelos grupos parlamentares no debate de posse.

Sánchez só contou com o voto dos 90 deputados de seu grupo e os 40 do liberal Ciudadanos.

Por outro lado, votaram contra o Partido Popular (PP, centro-direita), que conta com 123 cadeiras, e o Podemos (esquerda), com 69 assentos, assim como os pequenos partidos nacionalistas e de esquerda.

O candidato socialista aceitou no último dia 2 de fevereiro a incumbência do rei de apresentar-se à posse como chefe do Executivo depois da recusa do presidente interino, Mariano Rajoy.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos