Tunísia mata supostos jihadistas que tinham se infiltrado no país pela Líbia

Túnis, 2 mar (EFE).- Unidades especiais de luta antiterrorista da Tunísia mataram nesta quarta-feira cinco supostos jihadistas que tinham se infiltrado no país a partir da vizinha Líbia e tomado uma família como refém, informou o Ministério da Defesa.

No ataque à casa, situada em Awja, uma pequena cidade a 10 quilômetros da cidade meridional de Ben Guerdan, um oficial superior da marinha tunisiana ficou levemente ferido na cabeça, acrescentou a fonte, que não deu detalhes sobre a família retida.

Segundo as forças de segurança, os supostos terroristas estão vinculados com o braço líbio do grupo jihadista Estado Islâmico e entraram no país de forma irregular através da fronteira a bordo de vários veículos 4x4.

"Os jihadistas se refugiaram em uma casa e tomaram uma família como refém em sua tentativa de fuga após um enfrentamento com as forças de segurança. Um cidadão ficou ferido e morreu no hospital", explicou a fonte.

"Um oficial superior da marinha tunisiana foi ferido na cabeça e transferido ao hospital regional de Ben Guerdan", disse à imprensa um das testemunhas, que apontou que outros cinco supostos jihadistas teriam conseguido fugir após a primeira troca de tiros, acrescentou.

Foi em Ben Guerdan, situada cerca de 50 quilômetros ao oeste da fronteira líbia, onde as forças de segurança detectaram os supostos jihadistas infiltrados e onde ocorreu o primeiro tiroteio, no qual morreu o civil, aparentemente atingido por uma bala perdida.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos