Infanta Cristina começa a depor em julgamento por corrupção

Palma (Espanha), 3 mar (EFE).- A irmã mais nova de Felipe VI da Espanha, a infanta Cristina de Bourbon, começou a depor nesta quinta-feira no julgamento do "caso Noos", pelo qual é acusada de cooperar em dois delitos fiscais cometidos por seu marido, Iñaki Urdangarin.

O sindicato Manos Limpias, que exerce a acusação popular e é a única parte que atribui delitos à irmã do rei, pede oito anos de prisão para a infanta.

Cristina de Bourbon, a primeira pessoa da família real espanhola a se sentar no banco dos réus, se acolheu ao direito de não testemunhar e somente responder às perguntas de seu advogado.

Iñaki Urdangarin, que hoje concluiu seu depoimento após 16 horas de comparecimento, afirmou que nunca houve a pretensão de usar sua esposa como "escudo fiscal" e que ela "nunca interveio na economia familiar".

O marido de Cristina de Bourbon é acusado de tráfico de influência, desvio, prevaricação, fraude, falsidade, delitos contra Fazenda e lavagem de capitais por sua gestão no Instituto Nóos, entidade sem fins lucrativos à qual supostamente desviou vários milhões de euro de fundos públicos, pelos quais a acusação pede penas de entre 11 e 26,5 anos de prisão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos