Venezuela fará revisão integral de relações com os EUA após decreto de Obama

Caracas, 4 mar (EFE).- O governo da Venezuela fará uma "revisão integral" de suas relações com os Estados Unidos depois que o presidente Barack Obama decidiu renovar por um ano o decreto no qual declara "emergência nacional" sobre o país caribenho.

"O governo venezuelano decidiu, em consequência, submeter à revisão integral as relações com os Estados Unidos da América do Norte", disse a chanceler venezuelana, Delcy Rodríguez, em entrevista coletiva na qual afirmou que os EUA "desatenderam" os apelos "do mundo" para revogar este decreto.

A ordem de renovação do decreto foi emitida ontem por Obama devido a que "a situação não melhorou" na Venezuela e seu governo "continua enfraquecendo as garantias dos direitos humanos".

Rodríguez indicou que na manhã de hoje seu escritório se comunicou com o secretário-geral da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) e com a presidência temporária da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) "que ratificaram sua posição de solidariedade com a Venezuela".

Além disso, a Venezuela anunciou que denunciará perante a comunidade internacional que esta "agressão" incita os setores "antidemocráticos e violentos da oposição venezuelana" para "atentar" contra a institucionalidade do país "e suas autoridades legitimas e constitucionais".

O comunicado da chancelaria lido por Rodríguez ratifica que o governo "repudia energicamente a renovação da ordem executiva dada pelo presidente dos Estados Unidos (...) que de forma inexplicável insiste em declarar a Venezuela como uma ameaça incomum e extraordinária à comunidade nacional e à política externa dos EUA".

Obama renovou ontem o decreto que emitiu em março do ano passado, uma ordem executiva que também ampliou as sanções a certos funcionários do Executivo venezuelano.

Para a prorrogação da ordem, o presidente americano argumentou ontem que a Venezuela segue sofrendo "a perseguição dos opositores políticos, a restrição da liberdade de imprensa, o uso da violência e violações aos direitos humanos".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos